Operação contra PCC realiza prisões 'dentro dos presídios' em MS

Patrice Gainsbourg
Abril 19, 2017

Seis pessoas, sendo cinco mulheres e um homem, foram presos na manhã de hoje (18) em Naviraí - distante 366 km de Campo Grande, dentro da Operação Desdita, desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado). O GAECO é coordenado pela Promotora de Justiça Cristiane Mourão Leal Santos e as ordens foram expedidas pelo Juiz Mário José Esbalqueiro Júnior, juiz da 2 Vara de Execução Penal de Campo Grande.

Após a prisão do grupo, em dezembro, o Gaeco passou a investigar outras ramificações da facção em Mato Grosso do sul. Além de 10 armas de grosso calibre, dinheiro que ainda será contabilizado, drogas, quatro veículos, 42 duas contas bancarias bloqueadas, além de bloqueio de várias linhas de telefonia celular que eram usadas pela organização criminosa.

Policiais entram no presídio feminino de Campo Grande. Ao todo, são cumpridos 38 mandados, 24 de prisão preventiva e 14 de busca e apreensão.

A investigação que resultou na operação realizada hoje teve início ano passado, conforme divulgou o Gaeco.

Trump signs order to curb hiring abuses
Dubbed "Buy American and Hire American", the directive follows a series of recent Trump reversals on economic policies. Trump also promised to either replace or modify the current lottery-based selection process for H-1B visas.

A lista de transferência tem os nomes de Antonio Marcos dos Anjos Silva, vulgo "Da Leste"; Diego Freitas Leite, vulgo "Lendário"; Francivaldo Rodrigues Lima, vulgo "Pantaneiro"; Nilton Cezar Antunes Veron, vulgo "Cezinha"; Rui Ederson da Silva Fernandes, vulgo "Veloster"; e Rogério dos Santos Costa, vulgo "Armagedon".

Mesmo com esse combate, os criminosos tentaram organizar atentados a integrantes da segurança pública do Estado, mas os planos foram frustrados.

"O que ele (Luiz Carlos) não sabia é que estava sendo monitorado e que as informações coletadas eram repassadas para polícia, para que os agentes pudessem impedir as ações da facção", disse a promotora. As celas são esvaziadas pelos militares do Batalhão de Choque, que fazem a contenção das detentas, enquanto são feitas buscas por materiais ilícitos.

Os mandados serão cumpridos em conjunto com a Polícia Militar, por meio do Batalhão do Choque, Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e Dintel (Diretoria de inteligencia da PM).

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL