Militar português morre em missão no Mali

Patrice Gainsbourg
Junho 20, 2017

A informação foi avançada pela AFP.

Em 2005, o sargento dos Comandos João Paulo Roma Pereira, de 33 anos, natural de Alhos Vedros, morreu no Afeganistão quando o blindado em que seguia em patrulha foi atingido, um incidente em que ficaram feridos três outros militares portugueses ao serviço da NATO. O sargento-ajudante Paiva Benido, casado e com duas filhas menores, integrava o contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia no Mali, formado por dez elementos.

Os jihadistas foram em grande parte expulsos da região por uma intervenção militar internacional, lançada em Janeiro de 2013 por iniciativa da França e que ainda continua, mas zonas significativas continuam fora do controlo das forças malianas, francesas, da UE e da ONU, regularmente alvo de ataques. "As forças especiais malienses intervieram" contra os agressores, declarou Traoré.

Uma equipa de atiradores, alegadamente extremistas islâmicos, matou duas pessoas e feriu outras 14, tendo sequestrado 32 reféns até à chegada das forças antiterroristas, que abateram pelo menos cinco atiradores.

A Forsat (Força especial antiterrorista), criada em 2016, "foi deslocada para o local", informou a televisão pública ORTM, acrescentado que o evento "pode se tratar de um ataque terrorista".

Golden Knights Roster Ready To Select Players
Vancouver's talented first-round pick in 2012 has just six points in 77 National Hockey League games. Contrary to popular opinion, the Panthers left Jonathan Marchessault exposed for the draft.

De acordo com o ministro da Defesa, o militar português encontrava-se ao serviço da Missão da União Europeia no Mali (EUTM), onde Portugal tem ainda 10 militares destacados.

O atentado aconteceu no Hotel Le Campement Kangaba, um resort autorizado pela Missão de Treino para servir de "Wellfare Center", um local de repouso no intervalo das funções dos militares internacionais que estão no país. Um atacante foi morto. Outro ataque, realizado em novembro de 2015, ocorreu perto do hotel Radisson Blu e levou a vida de 20 pessoas.

O Mali se encontra sob estado de emergência há um ano e meio.

Entretanto, a Associação Nacional de Sargentos, de que o sargento Benido era sócio, já lamentou a morte do militar.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL