Secretaria de Segurança nega falta de tornozeleira eletrônica em Goiás

Judith Bessette
Julho 5, 2017

Superintendente trouxe explicações na tarde desta terça-feira (4). O superintendente de Administração Penitenciária, cel.

No documento, o promotor observa que Goiás estaria com o estoque do equipamento em falta, havendo, inclusive, fila de espera para obtenção do aparelho.

O inquérito foi aberto pelo promotor Fernando Krebs.

Segundo divulgou esta noite a TV Anhanguera, a Superintendência Executiva de Administração Penitenciária de Goiás (Seap) alegou que apenas atendeu a uma solicitação do Departamento Penitenciário de Goiás para ceder a tornozeleira. A argumentação do Ministério Público é de que faltam tornozeleiras eletrônicas em 18 comarcas do interior goiano, juízes tiveram de soltar presos, o que não justifica o empréstimo do equipamento para o sistema penitenciário do Distrito Federal. O órgão também se comprometeu a pagar a dívida com a empresa Spacecom, além de prorrogar o contrato com a companhia, vencido em fevereiro. Ele explicou que no momento há 957 tornozeleiras sendo usadas para o monitoramento dos presos.

Volvo's Self-Driving Cars Confused by Kangaroos in Australia
Volvo said the technology, the "Large Animal Detection system", had no problems with other animals such as deer or caribou. Volvo has admitted its self-driving cars are no match for kangaroos - because hopping confuses its autonomous system .

Depois que o ministro Edson Fachin liberou Rocha Loures para cumprir prisão domiciliar, a Polícia Federal admitiu que não tinha nenhuma tornozeleira disponível.

Além disso, para Fachin, Loures deve receber os mesmos benefícios de outros investigados a partir das delações da JBS, como a irmã do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Andrea Neves, o primo deles, Frederico Pacheco, e o ex-assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG), Mendherson Lima. O estado tem, no entanto, mais de 100 presos aguardando pelo equipamento para serem transferidos para prisão domiciliar. Mas não existe esta fila, não existe essa possibilidade de ter havido a "furação" desta fila. "Não sei se estão faltando 4 mil ou não, porque nós precisamos das determinações judiciais para que sejam cumpridas", argumentou.

O ex-deputado Rodrigo Rocha Loures estava preso desde o dia 3 de junho, quando foi flagrado pela PF recebendo uma mala, em São Paulo, com R$ 500 mil que, segundo delatores da JBS, era dinheiro de propina.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL