Vídeo: Federer chora ao ver os filhos na bancada de Wimbledon

Vincent De Villiers
Julho 17, 2017

O tenista suíço Roger Federer tornou-se hoje no recordista de vitórias em Wimbledon, ao conquistar o seu oitavo título na relva londrina, com um triunfo sobre o croata Marin Cilic, em três 'sets'.

Ainda assim, apesar de oferecer aos fãs na quadra central seu 19º título de Grand Slams, Federer admitiu que sua idade avançada e as lesões do último ano podem significar que ele não retornará para defender o título no ano que vem.

Roger Federer cravou mais fundo o nome na história do tênis mundial neste domingo (16).

Após o ponto final, foi a vez de Federer chorar em quadra.

O jogador de 35 anos, por sua vez, mantinha-se totalmente abstraído dos problemas do seu adversário e focado no seu jogo, sem dar qualquer tipo de aberturas.

Exibindo boas devoluções, como fizera com outros sacadores, Federer dominou Cilic desde o começo e não chegou a ser ameaçado ao longo da partida - não perdeu o saque em nenhum momento.

Coentrão volta a 'irritar' os adeptos do Benfica — Sporting
Fábio Coentrão mudou-se esta temporada para o Sporting e tem feito várias declarações de amor e fidelidade ao emblema leonino. A fotografia chegou às redes sociais e rapidamente se tornou viral.

É o segundo título de Grand na temporada, depois de vencer o Aberto da Austrália no janeiro. Tratou-se da oitava vitória em Wimbledon, feito histórico do tenista de 35 anos. Se você acredita, você consegue chegar.

A 23 dias de seu 36º aniversário, Federer se tornou o campeão masculino de simples mais velho em Wimbledon na era profissional.

Cilic começou o terceiro set sacando e sabia que uma quebra seria fatal. Ele pediu atendimento médico, sinalizando dores, porém sem apontar o local. Cilic teve a chance de quebrar o serviço de Federer, mas não conseguiu definir.

Federer, que disputou sua 11ª final em Wimbledon, foi desafiado no início da partida, mas assim que quebrou o serviço de Cilic no quinto game do primeiro set, a partida passou a ser dominada por ele.

- Eu amo jogar, tenho um time maravilhoso e minha esposa me apoia a seguir jogando. Pelo caminho, um vice-campeonato, em 2008.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL