"Nosso arsenal nuclear é mais forte e poderoso que nunca antes" — Trump

Patrice Gainsbourg
Agosto 13, 2017

A Coreia do Norte "deve deter seu comportamento provocador", declarou neste sábado a Casa Branca, após o presidente Donald Trump conversar por telefone com o líder chinês, Xi Jinping, sobre a crise na península coreana.

"As soluções militares estão plenamente operacionais, preparadas e armadas, para o caso de a Coreia do Norte se comportar imprudentemente". O presidente americano afirmou ainda que se o regime de Pyongyang continuar a política de ameaças aos EUA e seus aliados, "vai lamentá-lo, e vai lamentá-lo muito rapidamente".

Em meio à guerra verbal trocada por Estados Unidos e Coreia do Norte, uma pequena ilha no meio do Oceano Pacífico pode se transformar no símbolo da passagem da ameaça para a ação.

- O povo de nosso país está seguro. Querem que as Forças Nacionais de Segurança preparem discursos precisos, para evitar interpretações equivocadas nas falas do presidente.

- Talvez não tenha sido forte o suficiente. Ele assegurou que o nível de alerta "não mudou", apesar das ameaças da Coreia do Norte de atacar com mísseis o território. Eles devem ficar muito, muito nervosos.

Já propôs várias vezes uma dupla "moratória": a paragem simultânea dos ensaios nucleares e balísticos de Pyongyang e dos exercícios militares conjuntos dos Estados Unidos e da Coreia do Sul.

Trump will send envoys to Middle East to discuss peace
Despite the recent crisis, President Trump has reiterated that while reaching an Israeli-Palestinian peace agreement will be hard , he "remains optimistic that peace is possible".

Os dois países terão ainda reiterado a decisão de aplicar novas sanções a Pyongyang, descrevendo-as como "um passo importante e necessário" para a estabilidade na península coreana.

Os testes contínuos de armas feitos pelo governo norte-coreano desde o início do ano aumentaram a tensão na península. A declaração foi dada após Trump prometer responder às ameaças de Pyongyang com "fogo e fúria". "Esperamos que Kim Jong-un escolha outro caminho". A ideia é que os mísseis aterrissem no mar, de 30 a 40 quilômetros de Guam. Provavelmente "não serão tão efetivas como muitas pessoas pensam que será, infelizmente". Os candidatos são a China e a Rússia, que vieram esta sexta-feira apelar à calma e contenção verbal - mas não deixam de desenhar as suas próprias linhas vermelhas. Mas pressionou Pequim por mais ações. E eu penso que a China irá fazer mais - disse Trump em Bedminster, Nova Jersey.

"Vejo a necessidade de um trabalho duradouro no Conselho de Segurança da ONU. bem como uma estreita cooperação entre os países envolvidos, especialmente os EUA e a China", disse Merkel a jornalistas em Berlim.

Nesta quinta, em seu primeiro discurso na Assembleia Constituinte, Maduro disse que queria se reunir com Trump. "O poderoso exército norte-coreano, capaz de lutar qualquer guerra que os EUA quiserem, está em standby para abrir fogo contra o território norte-americano, aguardando a ordem para um ataque final", afirmou o periódico.

Na terça-feira, o jornal The Washington Post relatou que a Coreia do Norte teria a capacidade de colocar pequenas ogivas nucleares nestes mísseis, segundo um relatório da Agência de Inteligência de Defesa (DIA, em inglês).

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL