Funaro confirma Joesley e complica Temer

Oceane Deschanel
Setembro 1, 2017

Segundo informações do jornal O Globo, o operador Lúcio Funaro teria confirmado em delação premiada que recebeu dinheiro do empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, para ficar em silêncio.

A PF enviou o material à Procuradoria-Geral da República (PGR), que determinou a Joesley que identificasse todos os seus interlocutores e os contextos em que as conversas ocorreram. Em 3 de julho, Geddel foi preso preventivamente acusado de obstrução da Justiça.

Temer já foi denunciado por corrupção passiva, mas, após maciça distribuiçao de emendas parlamentares, a Câmara dos Deputados rejeitou o pedido para que o STF analisasse a acusaçao contra o presidente antes do fim de seu mandato. A expectativa no mundo político é que Janot oferecerá uma nova denúncia contra Temer, por outros crimes. Com a confirmação por parte de Funaro, a versão ganha força e pode complicar o presidente.

Ainda segundo o jornal, Funaro já teria admitido em conversas iniciais com a Polícia Federal que recebia pagamentos do empresário como parte da quitação de uma dívida. O operador decidiu colaborar com a revisou as declarações anteriores, ratificando a narrativa do dono da JBS.

Estreia hoje na RTP 'Diana', o documentário sobre a morte da princesa
Diana foi uma das mulheres mais populares do mundo, tendo se tornado também um ícone da moda e da elegância. A Impala esteve na capital francesa para percorrer os últimos locais da Princesa de Gales, com vida.

Os arquivos apagados eram identificados como "Gabriel Guimarães X R. Saud", "Roberta X Ricardo", "Rodrigo R. Louro X Ricardo", sendo Gabriel Guimarães um deputado do PT-MG e Roberta a irmã do doleiro Lúcio Funaro.

Funaro já havia apontado que o ex-ministro Geddel Vieira Lima teria sondado sua família sobre o risco de uma delação.

Ontem, o ministro Edson Fachin, relator do caso no Supremo Tribunal Federal, devolveu para a PGR o acordo de delação premiada entre Funaro e pediu ajustes.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL