Nova versão do WhatsApp promete conectar empresas aos clientes

Judith Bessette
Setembro 6, 2017

O WhatsApp anunciou nesta terça-feira (5) que está desenvolvendo um novo aplicativo que será o canal de comunicação de empresas com seus consumidores e uma solução corporativa para as grandes companhias. No Brasil, o Itaú Unibanco é o primeiro parceiro do aplicativo no programa piloto, que servirá para testar as funcionalidades antes de liberá-las a todos os interessados.

Apesar de informar que atende o Itaú e nomeá-lo como seu maior cliente no Brasil, a empresa não dá detalhes sobre o contrato ou informa outra companhias que fazem parte da iniciativa no país. Inicialmente, ele é oferecido para alguns clientes do banco na categoria Personnalité Digital (segmento de contas digitais para alta renda). Embora não tenha recebido ainda um nome oficial, a nova versão do WhatsApp tem sido chamada de "WhatsApp Business for Small Businesses and enterprise solutions".

A empreitada contará com o envolvimento de mais de 50 profissionais de diversas área do Itaú Unibanco, como atendimento digital, user experience, design, marketing e tecnologia, em contato direto com a matriz do WhatsApp no Vale do Silício, na Califórnia.

Preço da cesta básica diminui em 21 capitais, aponta Dieese
Porto Alegre foi a cidade com a cesta mais cara (R$ 445,76), seguida por São Paulo (R$ 431,66) e Florianópolis (R$ 426,30). Os menores valores foram observados em Salvador (R$ 332,10), Natal (R$ 336,12) e no Recife (R$ 340,54).

De acordo com um comunicado da instituição financeira, o projeto tem a intenção de facilitar o diálogo entre os clientes e seus gerentes. O envio de notificações e alertas são funcionalidades que já estão sendo estudadas. "Estamos entusiasmados em tornar possível conectar pessoas à empresas de maneira rápida e pessoal", destaca Matt Idema, COO do WhatsApp.

Já a plataforma para grandes empresas será voltada àquelas que atuam em escala global, como empresas aéreas, grandes varejistas online e bancos.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL