Adeus Flórida: milhões de pessoas fogem do Irma nos EUA

Patrice Gainsbourg
Setembro 10, 2017

O furacão causou a morte de ao menos 23 pessoas em ilhas do Caribe, passou pela costa de Cuba e já começa a causar ventos fortes e chuva na Flórida, nos Estados Unidos.

Irma, o furacão mais poderoso já registrado no Atlântico, deixou pelo menos 18 mortos em sua passagem pelas Pequenas Antilhas e Porto Rico e destruiu a ilha de Barbuda e a parte francesa de Saint Martin.

Apesar do pequeno enfraquecimento, ele segue causando chuvas torrenciais e enchentes em áreas costeiras. Na madrugada deste sábado o furacão atingiu a região de Cayo Romano, no norte de Cuba.

Pelo menos duas pessoas morreram em Porto Rico e mais da metade dos três milhões de habitantes ficaram sem eletricidade depois que rios transbordaram no centro e no norte da ilha.

A pouco mais de 24 horas da chegada do furacão Irma ao sul da Flórida, o cabo-verdiano Paulino Fernandes, que vive em Hallandale Beach, por onde passará o chamado olho do furacão, teve de deixar a sua residência, perto da praia, e ir para a casa de um amigo.

Às 5H00 locais (6H00 de Brasília), o fenômeno estava a 65 quilômetros de Key West (Flórida), com ventos de até 210 quilômetros por hora, depois de afetar as províncias cubanas de Ciego de Ávila, Sancti Spíritus, Villa Clara, Matanzas e Havana.

"Nenhum lugar em Flórida Keys estará seguro".

Janot deve rever benefícios dados a delatores da JBS ainda este mês
Segundo Janot, um eventual cancelamento do acordo não está descartado, mas as provas apresentadas seriam preservadas. Janot quer acelerar a revisão do acordo porque seu mandato no comando da Procuradoria termina no próximo dia 1.

"O tamanho do furacão é enorme", disse Rick Scott, governador da Flórida, na quinta-feira. Estamos ficando sem tempo.

Havia longas filas para comprar garrafas de água e abastecer carros em postos de combustível e em mercados.

O governo espera que os moradores deixassem as regiões que deverão ser rota do furacão ainda nesta sexta e evitem as estradas no final de semana, quando o clima estará ainda mais hostil.

De acordo com autoridades de gestão de emergências da Flórida, pelo menos 51 mil moradores estão divididos em aproximadamente 300 abrigos.

Giménez já havia ordenado na quarta-feira a evacuação "obrigatória" na zona litorânea do condado, que inclui a região turística de Miami Beach e outras ilhas divisórias, para residentes e veículos.

O furacão Andrew causou prejuízo de US$ 26,5 bilhões (cerca de R$ 80 bilhões), em valores atualizados.

De acordo com o Centro Nacional de Furacões, com base em Miami, Irma deve atingir as ilhas Florida Keys na noite de sábado, antes de avançar pelo continente. "Estou em choque", disse Daniel Gibbs, uma autoridade local.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL