Internacional - China anuncia que apoiará novas medidas contra Coreia do Norte

Patrice Gainsbourg
Setembro 10, 2017

A Coreia do Norte emitiu uma nova declaração intimidando o Japão e os Estados Unidos por buscarem uma nova resolução de sanções do Conselho Nacional de Segurança das Nações Unidas contra Pyongyang, por seu recente teste nuclear.

"É por isso que eu expresso grande desagrado com as medidas diplomáticas bilaterais tomadas pelo governo mexicano que afirma ter uma política externa soberana". Assim, desde 2006, a Coreia do Norte realiza testes cada vez mais potentes e, desde o dia 3 de setembro de 2017, já foram efetuados seis.

"Disciplina e firmeza não são palavras que alguém usa normalmente em uma frase que também tem o nome Donald Trump", disse Robert Einhorn, ex-autoridade do Departamento de Estado que já negociou com a Coreia do Norte.

O ministro de Assuntos Exteriores da China, Wang Yi, afirmou nesta quinta-feira (7) que seu país apoiará novas medidas contra a Coreia do Norte após o último teste nuclear realizado pelo regime de Kim Jong-un.

Os EUA pedem um embargo petrolífero à Coreia do Norte e o congelamento dos activos do Presidente Kim Jong-Un, a proibição das exportações de têxteis e a suspensão dos pagamentos a trabalhadores norte-coreanos no estrangeiro, para privar Pyongyang de receitas para prosseguir com os seus programas militares.

LA Noire é mais caro na Switch
Segundo a companhia, essa será a versão definitiva do game, com todos os DLCs já lançados. Os jogos também suportam resolução 4K no PS4 Pro e no Xbox One X .

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, insistiu nesta quarta-feira que resolver a crise nuclear norte-coreana é impossível somente com sanções e pressão.

O aparente sexto teste nuclear norte-coreano acontece algumas horas depois de Pyongyang ter anunciado que desenvolveu uma bomba de hidrogênio que pode ser instalada em um míssil balístico intercontinental (ICBM).

No contexto internacional, a Coreia do Norte não colhe simpatias de nenhum setor, incluindo os seus antigos aliados.

Enquanto isso, a vizinha Coreia do Sul se mantém em alerta e observa qualquer sinal que indique que o regime de Kim Jong-un possa fazer novas provocações. Com este, o número de submarinos da Coreia do Sul chega a 18.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL