Furacão Irma ganha força e atinge categoria 5

Judith Bessette
Setembro 12, 2017

Além do Irma, há dois furacões em atividade entre o México e o Caribe: Katia e José, ambos de categoria 1, a mais leve na escala Saffir-Simpson. Também estão suspensos voos entre ilhas da região, incluindo República Dominicana, Guadalupe e Ilhas Virgens Britânicas.

"Se há uma mensagem que ainda podemos divulgar é de que se protejam ao máximo e escutem os conselhos e determinações", insistiu.

As mortes causadas pelo furacão Irma foram registradas em Saint Barthélemy, Saint Martin e em Barbuda.

O furacão também passou por Porto Rico, mas acabou fazendo menos estragos do que o previsto por lá porque atingiu uma área evacuada ao norte do país.

"O Sporting é muito perigoso" — Besnik Hasi
Não estamos aqui para lutar pelo terceiro lugar, porque quem faz isso fica condenado a perder. Já temos mais golos do que o queríamos, não podíamos ter sofrido, para nós já é demais.

A costa leste dos Estados Unidos já está em estado de emergência e as pessoas estão em pânico, pois sabem que é um dos piores furacões já vistos por lá. O governador portorriquenho, Ricardo Rossello, decretou estado de emergência antes mesmo de o furacão atingir a categoria 4, para preparar a população sobre a possível chegada do Irma. De acordo com a imprensa americana, uma mansão que o presidente tenta vender no balneário francês de St. Maarten pode estar no caminho da tempestade.

O furacão José se aproxima das Antilhas, "mas é incomparável com o Irma" e certamente vai ficar longe da terra, levando, contudo, fortes chuvas às já atingidas ilhas de Saint Martin e Saint Barts - informou o serviço de meteorologia francês, Météo France, nesta quinta-feira (7).

Moradores das ilhas caribenhas foram alertados para se prepararem para uma tempestade "potencialmente catastrófica". O empresário Marcos Garrido, que vive em Boca Raton, contou ao GLOBO que, por causa da passagem do Harvey pelo Texas, as pessoas se programaram com antecedência, ao contrário de furacões anteriores.

Na Flórida, habituada a furacões, os moradores já enfrentam dificuldades para estocar produtos como água, gás, enlatados, pilha, bateria, lanterna e madeira para proteger janelas. Até o momento, o Centro Nacional de Furacões diz não poder determinar se a tempestade atingirá ou não os países da região.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL