Lula é denunciado por corrupção passiva pelo MPF na Operação Zelotes

Oceane Deschanel
Setembro 12, 2017

Na denúncia, enviada à 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília, os procuradores da República Frederico Paiva e Hebert Mesquita sustentam que representantes das montadoras prometeram o pagamento de "vantagens indevidas" a intermediários do esquema e a agentes políticos, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro Gilberto Carvalho. Esse dinheiro seria para custear campanhas eleitorais do PT. O esquema era intermediado, segundo o Ministério Público, pelas empresas M&M e pelo lobista Alexandre Paes dos Santos. De acordo com as investigações, a denuncia foi feita sob acusação de aceitar receber recursos ilegais enquanto ainda estava na Presidência.

A Marcondes e Mautoni Empreendimentos - empresa do lobista Mauro Marcondes Machado, que representava a CAOA (Hyundai) e a MMC Automotores (Mitsubishi do Brasil) - teria ofertado R$ 6 milhões a Lula e Carvalho.

Segundo o MPF, Silva recebeu do diretor jurídico da M&M duas cartas endereçadas a Lula com os pedidos de alteração legislativa, o que acabou ocorrendo por meio de medida provisória.

Na denúncia, os procuradores enfatizam que documentos e depoimentos mostram que a MP teve um andamento atípico, passando por três ministérios em um único dia: 19 de novembro, quatro antes da publicação da norma no Diário Oficial.

Campeonato alemão tem primeira partida apitada por uma mulher na história
A alemã de 38 anos, se tornou a primeira mulher da história a apitar na primeira divisão do campeonato alemão (Bundesliga). Bibiana deu apenas um cartão amarelo na partida.

Trata-se da segunda denúncia contra Lula na Operação Zelotes - na primeira denúncia, Lula foi acusado juntamente com o filho Luís Cláudio pelo crime de tráfico de influência.

Os procuradores destacam uma mensagem em que Alexandre Paes dos Santos afirma que "colaboradores" de Mauro Marcondes teriam exigindo R$ 10 milhões e que o valor foi reduzido para R$ 6 milhões após "esforço de sensibilização de Mauro (Marcondes)".

Além da edição e posterior aprovação da matéria no Congresso, o Ministério Público diz que recursos foram usados para comprar o cancelamento de um débito de R$ 265 milhões no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais), órgão ligado ao Ministério da Fazenda -esse caso já é alvo de outra ação penal que tramita na Justiça Federal em Brasília. Somente a sanha persecutória de determinados procuradores contra o ex-presidente Lula pode explicar a tentativa de criminalização de uma política de desenvolvimento regional iniciada em governo anterior ao dele. "A Medida Provisória 471 foi editada em 2009, para prorrogar a vigência de incentivos fiscais que tornaram as regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste responsáveis por 13% dos empregos na indústria automobilística brasileira", diz a nota.

"A CAOA manifesta surpresa com a notícia do oferecimento, nesta data, de denúncia ao juízo federal do Distrito Federal, notadamente porque os fatos relativos à edição da Medida Provisória 471/2009 já foram objeto de minuciosa investigação policial - e mesmo de demanda judicial - onde restou comprovada a absoluta inocência da empresa".

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL