Garotinho é levado para prisão domiciliar pela Polícia Federal

Patrice Gainsbourg
Setembro 13, 2017

O ex-governador, Anthony Garotinho foi preso nesta quarta-feira (13) no Rio de Janeiro.

Sucedeu-se um longo intervalo comercial, de cerca de seis minutos, cujo último anúncio, aparentemente gravado e sobre um remédio para a próstata, tinha a voz de Garotinho. Garotinho é suspeito de liderar o esquema e havia sido preso em novembro do ano passado, porém teve a prisão revogada por decisão unânime do TSE (Tribunal do Superior Eleitoral). Garotinho, porém, conseguiu autorização para uma cirurgia em hospital particular e cumprir a medida em regime domiciliar. Garotinho está sendo levado para Campos dos Goytacazes.

Qualquer visita médica só poderá acontecer se for comunicada previamente ao juiz do caso, com exceção das emergências.

Por outro lado, a Polícia Federal também prendeu hoje um dos donos da J&F e director-presidente da JBS, Wesley Batista, em São Paulo.

Em junho deste ano, o Ministério Público do Rio havia feito um novo pedido de prisão contra o ex-governador, em caso no qual é réu por suposta compra de votos na prefeitura de Campos dos Goytacazes. De acordo com o jornal O Globo, a ordem de prisão foi do juiz Raph Manhães, que no documento diz que Garotinho praticou o crime de corrupção eleitoral pelo menos 18 mil vezes.

Okami HD é oficialmente anunciado para PS4, Xbox One e PC
Para isso, foram captadas diversas imagens dos jogadores e as suas maneiras de correr, driblar etc. Então, nada mais justo do que a AT Games contar tudo o que você vai encontrar na demonstração.

Garotinho deverá cumprir prisão domiciliar.

Em nota, o atual advogado de Garotinho, Carlos Azeredo disse repudiar os motivos apresentados para a prisão do ex-governador e que "a decisão de mantê-lo preso em casa, em Campos, tem a intenção de privá-lo de seu trabalho na Rádio Tupi e em seus canais digitais e, com isso, evitar que ele continue denunciando políticos criminosos importantes, alguns deles que já foram até presos".

A defesa de Garotinho negou todas as acusações, que chamou de "suspeitas infundadas". O ex-governador teria se beneficiado nas eleições trocando votos pela participação de eleitores no "Cheque Cidadão", programa social de sua cidade.

O advogado afirma, por fim, que a prisão domiciliar, além de não ter base legal, causa danos à sua família já que o impede de exercer sua profissão de radialista e sustentar sua família.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL