Irmãos Batista no WhatsApp de Miller

Patrice Gainsbourg
Setembro 14, 2017

A Polícia Federal [VIDEO] acabou desvendando algumas mensagens que foram encontradas no celular do procurador da República Marcello Miller, braço direito de Janot e também implicado no caso JBS.

A PF descobriu um grupo de WhatsApp que tinha entre seus participantes Joesley e Wesley Batista, advogados da JBS e Marcello Miller, relata a Veja.

Em nota, a defesa de Miller informou que o ex-procurador "nunca atuou como intermediário entre o grupo J&F ou qualquer empresa e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot ou qualquer outro membro do Ministério Público Federal".

Apple Unveils Its Much-Anticipated iPhone X
Apple uses the USB-C charging port on most MacBooks, but the iPhones retain the company's proprietary Lightning port. Can you think of anything else? The home button is also gone, and users instead tap the device to wake it up.

Já durante o mês de março, o procurador Miller já orientava a concretização de um acordo de colaboração premiada entre os irmãos Batista e executivos da empresa, para com a Procuradoria-Geral da República, da qual o procurador fazia parte.

As trocas de mensagens estavam em um celular de Wesley Batista apreendido em maio deste ano, durante a quarta fase da Operação Lama Asfáltica, deflagrada em maio deste ano. Miller é suspeito de ter atuado em favor dos controladores do Grupo J&F enquanto ainda trabalhava no MPF.

Em nota, Miller afirmou que 'repudia veementemente as insinuações e ilações feitas com base no conteúdo das gravações e mensagens divulgadas na imprensa'.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL