PF faz buscas em apartamento do ministro Blairo Maggi em Brasília

Patrice Gainsbourg
Setembro 14, 2017

Trata-se da operação Malebolge, a 12ª fase da Ararath. No Mato Grosso, há operação em nove municípios: Cuiabá, Rondonópolis, Primavera do Leste, Araputanga, Pontes e Lacerda, Tangará da Serra, Juara, Sorriso e Sinop. Mas a indicação é para busca e apreensão em endereço residencial dele em Cuiabá. Maggi é acusado de obstrução da Justiça. As imagens mostram o ex-chefe de gabinete dele, Sílvio Corrêa, entregando maços de dinheiro ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), ao deputado estadual José Domingos Fraga (PSD), ao deputado federal Ezequiel Fonseca (PP), e aos ex-deputados estaduais, Luciane Bezerra (PSB), Alexandre Cesar (PT) e Hermínio Jota Barreto.

A Assembleia Legislativa está, neste momento, ocupada por viaturas da PF, que também cumpre mandados no local. Já foram confirmados os gabinetes de Ondanir Bortolini (PSD) "Nininho", Gilmar Fabris (PSD) e Baiano Filho (PSDB).

A reportagem apurou que conselheiros do Tribunal de Contas do Estado também são alvos da ação.

Em agosto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux retirou sigilo da delação do ex-governador e determinou abertura de inquérito para investigar a denúncia.

Corinthians decepciona e Ponte sofre na mão do Sport — SUL-AMERICANA
Jogando na Ilha do Retiro, em Recife , o time de Vanderlei Luxemburgo não teve dificuldade para vencer a Ponte Preta por 3 a 1. Aos seis minutos, Mena cobrou escanteio na área, Diego Souza cabeceou no canto esquerdo e Aranha fez ótima defesa.

DELAÇÃO Na delação, Silval Barbosa contou à Procuradoria Geral da República como funcionava o esquema de corrupção no governo de Mato Grosso.

No pedido de busca e apreensão enviado ao Supremo, o Ministério Público Federal (MPF) cita outro caso que envolve Blairo Maggi e que também foi citado na delação premiada do ex-governador do MT Silval Barbosa.

A PF busca provas para comprovar os crimes apontados por Silval, que informou às autoridades sobre um esquema de pagamento de propina pelo governo do Estado para deputados estaduais para aprovar projetos de interesse do Executivo e contratos para obras públicas.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL