Presidente de uma das maiores fabricantes de carne detido no Brasil

Patrice Gainsbourg
Setembro 14, 2017

Sua prisão preventiva atrapalha este plano. A operação foi autorizada pela 6ª Vara Criminal Federal de São Paulo a pedido da PF e também tem como Joesley Batista, que já está preso. A procuradora Janice Ascari, que trabalha com Janot, também está acompanhando a ação.

Os dois delatores haviam deixado a Superintendência da PF em veículos separados por volta das 10h30, após passar a noite na carceragem. Joesley e Saud estão presos. Por isso a necessidade da prisão preventiva dos irmãos, afirmou.

Cerca de 70% dos negócios do Grupo é controlado pela JBS USA Holding, que tem 56 fábricas sediadas nos Estados Unidos. Caso a oitava se mantenha, o empresário deve ficar em silêncio.

O aparelho de Wesley foi apreendido em maio durante buscas da quarta fase da Operação Lama Asfáltica, que investiga desvios de verbas públicas federais em obras do governo de Mato Grosso do Sul.

Joesley Batista e Ricardo Saud reafirmam que não mentiram nem omitiram informações no processo que levou ao acordo de colaboração premiada e que estão cumprindo o acordo.

Batista foi a peça-chave da Procuradoria-geral da República (PGR) para denunciar Temer e transformá-lo no primeiro presidente em exercício da história do Brasil a ser acusado de um crime comum.

Laércio, ex-BBB, é sentenciado a 12 anos por estupro de vulnerável
A decisão, tomada no fim de agosto e divulgada hoje (12) pelo Ministério Público do Paraná, é referente ao crime ocorrido em 2012. A garota de 17 anos, cuja identidade não foi revelada, teria se relacionado com o tatuador quando tinha 13 anos de idade.

Marcello Miller: "Repudia veementemente o conteúdo fantasioso e ofensivo das menções ao seu nome nas gravações divulgadas na imprensa e reitera que jamais fez jogo duplo ou agiu contra a lei".

Joesley Batista foi preso no domingo (10) de forma temporária.

Nunca obstruiu investigações de qualquer espécie, nem alegou ou sugeriu poder influenciar qualquer membro do MPF. Pierpaolo foi o mesmo fotografa em um bar, conversando com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no sábado (9).

Os empresários prestaram diversos depoimentos e explicaram aos investigadores da Operação Lava Jato como funcionava uma vasta rede de corrupção que envolveu a JBS e políticos importantes do Brasil.

Segundo a Polícia Federal, há indícios de que essas operações ocorreram com o uso de informações privilegiadas e geraram vantagens indevidas no mercado de capitais em um contexto em quase todos os investidores tiveram prejuízos financeiros, "manipulando o mercado e fazendo com que seus acionistas absorvessem parte do prejuízo decorrente da baixa das ações que, de outra maneira, somente a FB Participações, uma empresa de capital fechado, teria sofrido sozinha". Atualmente ele está em prisão temporária, que tem duração máxima de cinco dias.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL