ONU condena lançamento de míssil por Coreia do Norte

Patrice Gainsbourg
Setembro 15, 2017

O encontro dos 15 países membros foi convocado por Estados Unidos e Japão, após o lançamento, na última sexta-feira, de novo míssil no mar do Pacífico japonês, pela Coreia do Norte.

A Coreia do Norte desafiou nesta quarta-feira as sanções impostas pelo Conselho de Segurança da ONU após o sexto e maior teste nuclear do regime norte-coreano, se comprometendo a redobrar esforços para combater o que disse ser uma ameaça de invasão norte-americana. Alguns cuidados foram defendidos pela China e pela Rússia, países aliados de Kim Jong-un, que veem com muita desconfiança os possíveis resultados de tamanha pressão econômica no norte da península coreana.

As novas sanções consistiram em um embargo sobre as exportações de gás para a Coreia do Norte, uma limitação às exportações de petróleo e de produtos refinados, e a proibição das exportações norte-coreanas de têxteis.

Segundo o embaixador, "as próximas medidas da Coreia do Norte farão com que os Estados Unidos sofram a maior dor que já experimentaram em sua história".

- O presidente americano Donald Trump já está perdendo a paciência.

China condena disparo de míssil norte-coreano- AFP
2 de 2 China condena disparo de míssil norte-coreano- AFP

Depois de mais um rol de ameaças da Coreia do Norte, foi a vez da Coreia do Sul responder na mesma moeda e fazer o seu primeiro teste de um míssil - lançado a partir do ar para atingir cruzeiros. O presidente chinês, Xi Jinping, defende a dupla suspensão: a Coreia do Norte desiste dos programas de armas, e os EUA suspendem os exercícios militares e a conclusão do escudo antimísseis em Seul.

Assim, no intuito de pressionar tanto Pequim quanto Moscou para seguirem as regras, os EUA estão indo atrás de companhias e indivíduos suspeitos de terem realizado negócios com o regime norte-coreano, segundo explica Ruggiero.

As suspeitas são reveladas ao longo de 111 páginas, que evidenciam a capacidade da Coreia do Norte para contornar as sanções decididas pelas Nações Unidas.

Esta é oitava rodada de sanções aprovada pelo Conselho de Segurança contra a Coreia do Norte por seu programa nuclear. Os Estados Unidos já pensam em invadir a Coreia do Norte neste contexto.

Foi esse ensaio nuclear que acabou por ditar uma nova imposição de sanções pelas Nações Unidas, no início da semana, um pacote de sanções - o oitavo - que visa sobretudo fragilizar as exportações de crude e o setor têxtil.

Ônibus com 33 pessoas tomba em ribanceira no litoral
De acordo com o DER-SP (Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo), não há previsão para liberação. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) confirmou já a morte de dois homens e de uma mulher.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL