Kim Jong-un diz que disparou míssil para acalmar beligerância dos EUA

Patrice Gainsbourg
Setembro 16, 2017

Nesta sexta-feira, Kim Jong-un coordenou pessoalmente os testes, durante os quais o míssil Hwasong-12 sobrevoou o território do Japão e caiu no Oceano Pacífico. Isso significa que a bomba de Kim apresentou uma potência de explosão de cerca de 250 toneladas.

Entretanto, os especialistas ainda não afirmaram se a bomba utilizada no teste foi mesmo de hidrogênio, ou a conhecida bomba H. O teste visou certificar a capacidade dos sul-coreanos em atacar preventivamente a Coreia do Norte, o que é cogitado como forma de evitar um eventual ataque nuclear do vizinho.

O exercício teve lugar na terça-feira em Taean, a 150 quilómetros a sudoeste de Seul, de cujo espaço aéreo um caça F-15K disparou um míssil de longo alcance Taurus, que percorreu 400 quilómetros antes de atingir o alvo definido em águas em frente à costa de Gunsan, detalhou a Força Aérea.

Não se trata de uma ameaça direta à Coreia do Norte e a Kim Jong-un mas a reação é clara: as ameaças e exercícios de Pyongyang vão receber uma resposta dura de Seul, apesar de o presidente Moon Jae-in ter sido eleito (em maio) com uma campanha de promessas de diálogo com Kim Jong-un e de promessas de paz unificadora na península.

Após desculpa esfarrapada, verdade sobre o sumiço de Louro José é revelada
Ana pareceu irritada e o climão entre os dois rendeu bastante burburinho na internet. Nesta manhã, a apresentadora pediu para que Louro José siga as recomendações médicas.

Leia mais: Será que Trump realmente ordenaria o uso de armas nucleares? O mais recente, ocorrido no dia 3 de setembro, foi também o mais potente e importante por contar com uma bomba de hidrogênio capaz de ser transportada por uma ogiva de míssil.

Esta afirmação sugere uma preocupação acrescida por parte dos EUA quanto a um novo nível do poder nuclear norte-coreano.

A pressão diplomática global sobre a Coreia do Norte poderá se intensificar após a recém decisão do Conselho de Segurança das Nações Unidas de adotar uma nova resolução de sanções.

Esta é oitava rodada de sanções aprovada pelo Conselho de Segurança contra a Coreia do Norte por seu programa nuclear.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL