PF desarticula esquema criminoso responsável por furtos na Caixa

Patrice Gainsbourg
Setembro 16, 2017

Criminosos conseguiram desviar R$ 1,3 milhão de poupanças de 70 clientes da Caixa Econômica Federal, em um esquema criminoso investigado na Operação Duas Caras, deflagrada pela Polícia Federal nesta sexta-feira (15). Eles estão sendo levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba.

Os crimes investigados pela PF são furto qualificado, estelionato qualificado, peculato, uso de documento falso, falsificação de documento público e associação criminosa.

A maioria dos mandados é cumprida no Paraná, nas cidades de Curitiba, Colombo, Fazenda Rio Grande, Almirante Tamandaré, São José dos Pinhais, Matinhos e Guaratuba.

Ao todo, foram expedidos 56 mandados judiciais, sendo 23 de busca e apreensão, seis de prisão preventiva, sete de prisão temporária, seis de sequestro de bens e um mandado de suspensão do exercício da função pública por equiparação.

O esquema Policiais federais detalharam que o funcionário da CEF pesquisava e identificava contas poupança de clientes com grandes saldos e que não apresentavam histórico de retiradas. Casamasmo Júnior repassava os dados para Oliveira, líder do grupo criminoso.

Ex-jogador da Inter diz que brasileiro ia bêbado a treinos
Apesar dos títulos conquistados na Internazionale no período de 2006 a 2012, Maicon deixou não só histórias de glórias na Itália. Não treinavam de manhã, treinavam à noite, e assim Maicon treinava bem".

Por sua vez, o líder solicitava a emissão de documentos falsos e complementava os demais dados necessários com outros participantes do grupo, que geralmente possuíam acesso a banco de dados, em razão de suas profissões.

Os investigados entravam em contato com a central de cartões da Caixa e, se passando pelos clientes, informavam a "falsa" perda do cartão bancário, fato que gerava um novo envio de cartão. Os cartões eram retirados nos centros de distribuição dos Correios com o uso dos documentos falsos. Até o fim da manhã desta quinta-feira, a PF havia prendido 12 pessoas suspeitas de participação no esquema.

De acordo com a Polícia Federal, investigações apontaram a existência de um grupo estruturado e organizado na prática de ações criminosas contra a Caixa Econômica Federal, inclusive com atuação ativa de um funcionário do próprio banco.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL