May mantém alerta terrorista em nível 'grave' após atentado em Londres

Patrice Gainsbourg
Setembro 17, 2017

A explosão de hoje e o tumulto posterior provocaram ferimentos leves nos 29 passageiros atendidos em hospitais, em sua maioria com queimaduras ou lesões sofridas quando tentavam sair correndo da estação.

A secretária de Estado do Reino Unido, Amber Rudd, afirmou neste domingo que a decisão é um indicativo de que um "bom progresso" está sendo feito na investigação sobre o atentado que deixou 30 feridos, em número atualizado. Este nível significa que um ataque é altamente provável, mas não iminente.

Após o ataque, o nível de ameaça nacional foi classificado como "severo". Mais de um envolvido O Reino Unido posicionou, neste sábado, centenas de soldados em pontos estratégicos, para que as forças policiais pudessem continuar a buscar os responsáveis pela explosão.

Ministro Edson Fachin decreta prisão preventiva de Joesley e Saud
Caso fique provado que ele cometeu crime no mercado financeiro, seu acordo de delação também pode ser cancelado. Com música de axé tocando ao fundo, Saud e Joesley falam sobre casos de infidelidade.

May explicou que a medida é "proporcional" e permitirá a disponibilização de soldados para ajudar a polícia a reforçar a segurança no país, especialmente na rede de transporte. O responsável da unidade antiterrorista da Scotland Yard, Mark Rowley, admitiu que possa haver mais de uma pessoa envolvida no ataque, do qual não resultou qualquer morte.

Um engenho explosivo artesanal na estação de metro de Parsons Green, em Londres, feriu 23 pessoas esta manhã.

O Estado Islâmico assumiu a autoria do ataque em canais afiliados ao grupo extremista. A explosão havia obrigado as autoridades a fechar a estação. Os outros quatro ocorreram perto do Parlamento britânico, na Manchester Arena, durante um show de Ariana Grande, na Ponte de Londres e, por fim, numa mesquita no norte da capital.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL