Rooney condenado a trabalho comunitário e dois anos sem conduzir

Vincent De Villiers
Setembro 18, 2017

Ele ainda deverá prestar serviços comunitários por um ano - no total, cumprirá 100 horas de trabalho voluntário.

O atleta, que foi dispensado por José Mourinho no Manchester United, após 13 anos nos 'red devils', regressando ao Everton, clube que o formou, foi posto em liberdade sob fiança. Em causa está o caso de condução sob efeito de álcool, nos arredores de Liverpool.

O experiente avançado inglês foi hoje presente a tribunal, onde se declarou culpado de ter conduzido alcoolizado, no passado dia 1 de setembro.

Após a punição que recebeu fora de campo, o jogador de 31 anos de idade também publicou um comunicado para se desculpar pela sua conduta neste episódio. "Eu estava completamente errado", escreveu.

Sócrates entra na campanha de Lisboa para defender Fernando Medina
O ex-primeiro-ministro, principal arguido da Operação Marquês, pronunciou-se sobre as notícias que envolvem o presidente da Câmara de Lisboa, referindo-se a Fernando Medina como se estivesse a falar do próprio caso em que é investigado.

A defesa de Rooney no julgamento desta segunda-feira pediu ao juiz distrital John Temperley que considerasse a possibilidade de não impor a ordem de trabalho comunitário ao jogador em sua sentença, alegando que o atacante já realiza um trabalho de caridade na Inglaterra.

O futebolista disse ainda que "aceita a decisão do tribunal" e que espera poder contribuir com o "serviço comunitário", aproveitando também para endereçar desculpas à família, treinador, presidente e a todos do Everton.

Veja os gols da vitória do Manchester United sobre o Everton por 4 a 0 pela Premier League!

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL