Donald Trump ameaça "destruir totalmente" a Coreia do Norte

Oceane Deschanel
Setembro 20, 2017

É o caso da China, maior parceiro comercial da Coreia do Norte. A fala foi repleta dos elementos que catapultaram sua campanha à Presidência, como a retórica nacionalista, anti-imigração, anti-Islã e a ideia da "America First" - além de um tanto de incoerência. Ele disse, por exemplo, que algumas nações estão tão ruins que estão "a caminho do inferno".

O presidente dos Estados Unidos apelou à ONU que reforçasse as sanções contra o regime de Kim Jong-un, que voltou a apelidar de "rocket man" por estar a embarcar "numa missão suicida".

"Os Estados Unidos têm grande força e paciência, mas se formos obrigados a defendermo-nos ou aos nossos aliados, não teremos escolha senão destruir totalmente a Coreia do Norte", disse Trump na conferência das Nações Unidas, segundo a Reuters. É hora de a Coreia do Norte perceber que a desnuclearização é o único futuro aceitável - vociferou.

Em sua escalada, Trump ainda indicou que pode quebrar o acordo sobre o programa nuclear com o Irã ao afirmar que é "um dos piores" já feitos pelos EUA e uma "vergonha" para o país: "Não podemos cumprir um acordo se ele oferece cobertura para a eventual construção de um programa nuclear".

"Reafirmará a liderança global dos Estados Unidos". Mas esse costume se manteve ao longo dos anos e rendeu à presidenta Dilma Rousseff o marco de ser a primeira mulher na história a fazer o discurso inicial da Assembleia-Geral, em 2011. Trump não tem nada a dizer sobre a Venezuela.

- A França segue acreditando no diálogo.

WWII apresenta personagens em quatro novos trailers — Call of Duty
A 2ª Guerra Mundial é o campo de batalha do novo título da franquia Call of Duty , que chega à PlayStation 4 a 3 de novembro. Hoje foram liberados quatro novos trailers de Call of Duty: World War II .

- Não podemos esperar e assistir. O governante insistiu que é necessário trabalhar para recuperar a democracia na Venezuela. Agradeço aos países que condenaram o regime e apoiam os venezuelanos.

"A agressão do novo Hitler da política internacional, do senhor Donald Trump, contra o povo da Venezuela, a supremacia racial, imperial, hoje se manifestou". - A supremacia racial, a supremacia imperial, foi expressada pelo magnata que pensa que é dono do mundo.

Santos tornou-se muito crítico a Maduro e alinhado com a posição de Washington, que impôs sanções a Caracas para deter o que considera uma "ditadura". O americano disse que o governo iraniano deve respeitar os direitos humanos e servir ao seu próprio povo ao invés de proteger e armar terroristas.

"Este discurso representa uma declaração do presidente ao mundo sobre como os Estados Unidos se encaixam no mundo, como operam os Estados Unidos, quais são os seus valores e como se relacionam com outros países. Certamente necessitamos de mais ONU - e de uma ONU que tenha cada vez mais legitimidade e eficácia", disse o presidente. "A nossa pregação sempre foi esta, solucionar diplomaticamente", disse Temer a jornalistas.

- Escutei muitos discursos, mas nenhum foi tão duro e valente como o de Donald Trump esta manhã (ontem).

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL