Terremoto é detectado em área de testes nucleares na Coreia do Norte

Patrice Gainsbourg
Setembro 24, 2017

Num comunicado, o departamento chinês responsável pela detecção de sismos disse que foi registado um sismo à superfície por volta das 9h30 (hora de Lisboa).

Um terremoto de magnitude 3 na escala Richter atingiu neste sábado (23) a região nordeste da Coreia do Norte, segundo informações da agência meteorológica sul-coreana, acreditando que se trata inicialmente de um tremor natural e não provocado por um novo teste nuclear.

Não houve reação imediata do Ministério de Relações Exteriores da China. Espera-se que ele abrace essa estratégia em um discurso nesta quinta-feira na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York.

Segundo Lavrov, o mundo está a dizer ao regime norte-coreano de Kim Jong-Un que, se abandonar o seu programa nuclear, serão levantadas as sanções que lhe foram impostas pela comunidade internacional, mas se Washington puser termo ao acordo com o Irão, dará razões à Coreia do Norte para não negociar.

China anuncia que limitará fornecimento de petróleo para Coreia do Norte
A agência meteorológica da Coreia do Sul diferiu em sua avaliação inicial, dizendo que acreditava que o terremoto era natural. Já a China informou que o sismo não foi resultado de uma explosão nuclear e tinha características naturais.

O órgão destacou que, apesar de o tremor ter ocorrido no condado de Kilju, onde fica a base de testes nucleares de Punggye-ri, o epicentro foi registrado a cerca de 20 quilômetros do local.

A suspeita de que um novo teste tenha sido realizado foi levantada pelo Centro Nacional de Terremotos da China (CENC), devido à proximidade com a base e pelas características do sismo, que se parecem com o ocorrido no início do mês.

Moscovo e Pequim propuseram este verão que a Coreia do Norte suspendesse os seus testes balísticos e nucleares e que os Estados Unidos e a Coreia do Sul suspendessem as respetivas manobras militares, para tentar facilitar o diálogo.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL