São precisos "semanas ou meses" de negociações para o "Brexit" avançar

Patrice Gainsbourg
Setembro 28, 2017

O líder da equipa de negociadores da UE saudou a "nova dinâmica" nas negociações sobre a saída do Reino Unido do bloco europeu, mas salientou não haver ainda "progressos suficientes" na discussão sobre as futuras relações com a UE a 27.

As negociações entre o Reino Unido e a União Europeia entraram em ponto morto, com os conservadores sem margem de manobra perante a União Europeia, entrando numa estratégia de concessões progressivas.

"Progredimos consideravelmente nos quatro temas que interessam", disse David Davis, sublinhando que o recente discurso da primeira-ministra britânica, Theresa May, em Florença, Itália, permitiu o avanço.

O responsável europeu pelas negociações, Michel Barnier, afirmou que não há ainda acordo quanto ao montante que o Reino Unido deve pagar pela saída da União Europeia nem quanto ao papel que o Tribunal de Justiça Europeu deve ter. "Mais trabalho é necessário nas próximas semanas e meses", disse o negociador-chefe da UE Michael Barnier em entrevista coletiva. Segundo o The Guardian, nas reuniões entre Barnier e David Davis, o representante do Reino Unido não apresentou qualquer detalhe sobre os compromissos que estariam dispostos a manter. Aqui, UE e Reino Unido estão de acordo que se trata de uma "situação única".

Confira as vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira (27)
Os interessados devem procurar o Sine Matriz, que fica localizado na Rua Baltazar Navarros, bairro Bandeirantes, região central de Cuiabá.

Ao seu lado, o ministro britânico para o "Brexit" mostrou-se mais optimista, dizendo que graças "à determinação e espírito construtivo" demonstrado pelas duas partes, foram feitos esta semana "progressos consideráveis" nas três áreas em cima da mesa - direitos dos cidadãos, compromissos financeiros e fronteira na Irlanda do Norte - e insistiu que é urgente começar a discutir o quanto antes o futuro. Mas as palavras de Barnier reforçam o entendimento de que muito dificilmente os líderes dos restantes 27 Estados-membros aceitarão dar luz verde à próxima fase das negociações já na cimeira agendada para 19 de Outubro, adiando uma decisão potencialmente para Dezembro, o que deixa Londres com menos de um ano para lançar as bases da "parceria especial" que procura com a UE. "Seria ridículo fazer isso, mas temos uma ideia bastante clara sobre a meta que queremos alcançar", declarou à BBC.

Realizada no final de agosto, a última rodada de negociações terminou com os dois grupos reclamando da falta de avanços e, sem isso, a UE não está disposta a passar para a segunda fase do processo de negociação.

Em paralelo a essas negociações, Theresa May e Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu que reúne os dirigentes do bloco, devem se reunir nesta terça-feira (26) em Londres.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL