Venda de veículos sobe 24,5% em setembro

Judith Bessette
Outubro 4, 2017

Por isso, os números apontam para um cenário de recuperação consistente do setor. De janeiro a setembro, 381.821 veículos foram negociados, um crescimento de 21,76% nos emplacamentos frente a 2016. No mês passado, foram vendidas 1.105 unidades, o que representa 33% a mais do que em setembro de 2016.

A venda de veículos no Brasil apresentou um aumento de 24,5% na análise dos dados do mês de setembro, comparado com o mesmo mês do ano passado.

O licenciamento de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus somou 193,5 mil unidades em setembro, o que representou um avanço de 24,91% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

O desempenho eleva o total comercializado desde o início do ano para 1,62 milhão, alta de 7,4% sobre os nove primeiros meses de 2016. Melhor do que isso é o acumulado do ano. Caminhões e ônibus cresceram 35% e as motos, 12,4%. Com relação ao mesmo período de 2016, a alta é de 7,36%. Foram vendidas no mês passado 66.237 motocicletas, 4,9% a menos que em setembro de 2016. Na comparação com agosto, que teve três dias a mais de venda, houve queda de 13,25% no volume de motos vendidas.

Fenabrave registra aumento de 24,5% na venda de veículos em setembro

Para a sócia da MB Associados, Tereza Fernandez da Silva, que presta consultoria para a Fenabrave, o aumento na média diária de vendas de veículos, em setembro, indica que o ritmo nas linhas de produção de veículos tende a ser forte a partir de outubro.

A projeção se baseia na confiança de que o mercado vai movimentar uma média próxima de 200 mil veículos por mês até dezembro, a exemplo do que ocorreu em setembro, quando os licenciamentos de carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus chegaram a 199,2 mil unidades.

Ainda que não tenha divulgado as previsões para 2018, o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr., disse ter "quase certeza absoluta" de que os números do ano que vem serão ainda melhores.

EUA expulsam 15 diplomatas cubanos após "ataques de natureza desconhecida"
Os dois países reabriram embaixadas em Washington e Havana em 2015, depois de quase meio século de relações cortadas. Em Havana , a embaixada americana seguirá prestando apenas apoio de emergência a americanos em Cuba .

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL