"Um Mundial sem a Argentina e sem Messi seria una catástrofe" — Kempes

Patrice Gainsbourg
Outubro 9, 2017

O zagueiro Miranda admitiu que seria melhor a classificação dos argentinos, já que a Copa do Mundo sem a presença de Messi e companhia teria "menos encanto".

"Messi é um dos atores principais e absolutos do futebol de hoje, alguém que namora a bola e joga de forma absolutamente incrível", disse Infantino, que não se esqueceu de Maradona, estando ele a ser entrevistado para um órgão de comunicação argentino. E é assim, temos muitos grandes jogadores que não ganharam o Mundial, e temos muitos jogadores não tão grandes que ganharam. Tem que ver quem merece mais em 2018 e em 2022.

Mario Kempes foi o grande herói da Argentina na conquista do Mundial'78 e tem dififuldades em explicar o que se passa com a seleção alviceleste neste momento. "É isso a beleza do futebol". Historicamente rivais maiores dos argentinos, os adeptos do Escrete - que já garantiu há vários meses o passaporte para a Rússia - criaram uma campanha no Twitter com um único propósito: pedir aos seus jogadores para perder o jogo desta quarta-feira frente ao Chile.

Costa Rica, com muito dramatismo à mistura, assegura presença na Rússia
Jogando em casa, os costa-riquenhos saíram perdendo com gol do atacante Eddy Hernández, aos 21 minutos da segunda etapa. Uma derrota significaria, na melhor das hipóteses, um lugar na repescagem contra Síria ou Austrália.

"Pode ser, pode ser (que Messi jogue em 2022)". Quando o vemos jogar, parece que ninguém pode tocá-lo.

"Já faz três jogos que a gente está na Copa e não mudou a nossa seriedade".

"Ele nunca se quebra, nunca fica doente. Sim, Messi também tem que ganhar uma", disse. Os dois marcaram uma época: os anos 80 e 90 foram de Maradona; esses últimos 10 anos, de Messi. "E é tão rápido que mesmo os que querem bater nele, não conseguem", comentou. Maradona ganhou um Mundial.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL