Verdadeiros, porém 'ideologicamente falsos', entenda — Recibos de Lula

Patrice Gainsbourg
Outubro 10, 2017

No dia 25 de setembro, a defesa do ex-presidente apresentou documentos que contestam a versão dos procuradores. Lula se encrencou nas investigações da Operação Lava Jato, sendo acusado de crimes de corrupção [VIDEO] e lavagem de dinheiro. A Lava Jato afirma que não houve pagamento de aluguel entre fevereiro de 2011 e pelo menos novembro de 2015, do imóvel vizinho ao do petista, em São Bernardo.

"Diante do pedido expresso do juiz [Sérgio Moro] em relação a esses recibos, foram realizadas diligências por familiares e colaboradores do ex-presidente Lula nos pertences de dona Marisa, que sempre foi a locadora do imóvel". No entanto, dois desses recibos apresentaram datas inexistentes no calendário, fazendo com a Justiça averiguasse profundamente e desconfiasse das provas do ex-presidente.

"Os supostos 26 recibos referentes à locação do apartamento 121 apresentados pela defesa de Luiz Inácio Lula da Silva têm origem desconhecida, não trazem nenhuma comprovação a respeito da data em que foram produzidos e encontram-se em manifesta contrariedade com todo o acervo probatório, e, destacadamente, com o quanto declarou em interrogatório judicial o próprio Glaucos da Costamarques, apontado como autor daquelas declarações unilaterais de quitação", diz trecho do pedido.

Versão do Windows 10 para celulares chega ao fim, confirma executivo
A verdade é que o mesmo é pouco atrativo dado que a sua quota de mercado é, de acordo com a Gartner, de apenas 0,3%. O 'sprint' para tentar apanhar o iOS e o Android levaram a marca de Redmond a cometer vários erros.

Okamotto foi absolvido pelo juiz federal Sérgio Moro, em primeira instância, da acusação de ajudar o ex-presidente Lula a ocultar supostas propinas da OAS ao intermediar contrato para o armazenamento de bens do petista custeados pela empreiteira junto à Granero.

Na decisão, Moro afirma que "há dúvida, tratando-se de suposto falso ideológico, quanto à adequação de perícia técnica para a solução da controvérsia". Também cita que deverá ser "esclarecido expressamente" que os originais existem e deverão ser depositados em secretaria.

O subscritor dos recibos, Glaucos da Costamarques, por meio de seu defensor e em petição do evento 1.118, afirma que o acusado somente passou a receber os aluguéis ao final de 2015 e que teria assinado os recibos, todos ou em parte, ao final de 2015 quando estava hospitalizado.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL