Febraban adia para 2018 recebimento de boletos vencidos em qualquer banco

Judith Bessette
Outubro 11, 2017

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) adiou para 2018 a implementação da segunda fase de uma plataforma que permitirá que boletos vencidos até R$ 2.000 sejam pagos em qualquer banco.

Segundo a federação, o cronograma anunciado anteriormente precisou ser revisto devido ao volume elevado de documentos no novo sistema, estimado em 4 bilhões de boletos por ano.

A nova plataforma tem sido implantada de forma gradual, conforme o valor do boleto.

Desde setembro, foi liberado o pagamento das contas atrasadas iguais ou acima de R$ 2 mil. Segundo a Febraban, estes valores alcançam 3,7% dos boletos emitidos no país.

Além de permitir o pagamento de boletos em qualquer agência bancária, o novo sistema permite a troca de dados entre bancos sobre quem emitiu e quem pagou os boletos.

Diretas no PSD marcadas para 13 de janeiro
Caso os conselheiros nacionais optem por diretas a 13 de janeiro, o Congresso ficaria marcado para 16, 17 e 18 de fevereiro. Até ao dia 2 de janeiro está aberto prazo para entrega de candidaturas à liderança do partido e moções de estratégia global.

A previsão era a de que, entre outubro e novembro, fossem incluídos os boletos com valores mínimos de R$ 500 e R$ 200, até que todos fossem aceitos em dezembro.

O montante é comparável à capacidade das grandes processadoras de cartões de crédito do mundo, segundo a entidade. Quando o documento é apresentado em uma instituição financeira, o sistema consegue verificar se ele já foi quitado. De acordo com a Febraban, ao facilitar o rastreamento de pagamentos, o sistema reduz a possibilidade de fraudes e de quitação duplicada.

Quando o consumidor fizer o pagamento, será feita uma consulta à nova plataforma para checar as informações. Caso haja divergência nas informações, o pagamento só poderá ser feito no banco de origem da operação.

No modelo anterior, nem todos os boletos são registrados em uma base centralizada.

Todos os boletos enviados aos consumidores devem conter necessariamente o nome e o CPF do pagador, como determina o Banco Central, além de data de vencimento e valor do pagamento e autorização do cliente para que enviem a cobrança à residência.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL