PF faz buscas em gabinete de deputado Lúcio Vieira Lima na Câmara

Patrice Gainsbourg
Outubro 16, 2017

Além das buscas na Câmara, também são cumpridos mandados em mais dois endereços ligados a Lúcio Vieira. A ação desta manhã foi um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). A suspeita era de que seu irmão, que possui foro privilegiado, estivesse envolvido no crime de lavagem de dinheiro.

A PF identificou digitais de todos eles no 'bunker' da propina em Salvador. O apartamento usado por Geddel teria sido emprestado a Lúcio.

Além do gabinete do deputado, também são alvos de buscas imóveis de Lúcio Vieira Lima em Brasília e em Salvador.

O juiz também afirma, no documento, que "considerando o encontro fortuito de indícios acerca do local utilizado para a guarda de dinheiro em espécie que apontam para eventual ligação com o parlamentar". O dinheiro foi atribuído a Geddel.

FC Porto pode continuar a divulgar e-mails polémicos
Esta sexta-feira, a decisão do tribunal foi conhecida: os dragões podem prosseguir com a sua demanda. "Por um futebol limpo". No entanto, esclarece que a legalidade da obtenção dos emails vai ser posteriormente determinada em processo crime.

Ex-articulador político do presidente Michel Temer, Geddel Vieira Lima voltou para a cadeia no mês passado após a descoberta dos R$ 51 milhões pela Operação Tesouro Perdido. Como o estado da Bahia não dispõe de tornozeleira eletrônica, o ex-ministro cumpre a pena sem o equipamento de monitoramento.

Geddel Vieira Lima deixou o cargo de ministro da Secretaria de Governo em novembro de 2016. Houve busca e apreensão também no apartamento funcional do deputado, em Brasília. Outro alvo da operação, ainda segundo o jornal, é Job Ribeiro Brandão, assessor de Lúcio e que também já trabalhou para Geddel.

A investigação envolvendo a operação Cui Bono foi dividida em duas partes na semana passada.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL