"Falhou na proteção das pessoas" — CDS censura Governo

Patrice Gainsbourg
Outubro 18, 2017

O partido democrata-cristão CDS-PP, a quarta maior força política de Portugal, anunciou nesta terça-feira (17) que vai apresentar uma moção de censura contra o governo pela falta de respostas aos devastadores incêndios florestais dos últimos meses.

A moção deve ser votada pelo Parlamento na próxima terça-feira (24).

Para a líder do CDS-PP, o Governo não esteve à altura das responsabilidades e "não chega aprovar medidas para o médio e longo prazo".

Assunção Cristas explicou ainda que a decisão foi tomada depois de o CDS ter analisado os relatórios da comissão técnica independente e do professor universitário Xavier Viegas. "E não será surpresa para ninguém que o PSD não esteja disponível para dar qualquer tipo de apoio a um Governo que viola de forma básica as suas responsabilidades fundamentais, e cuja atuação denota um falhanço absoluto do exercício das suas funções", disse Matos Correia esta tarde aos jornalistas, sublinhando a "passividade e incompetência" do Governo que "ajudou a que tragédias ocorressem".

Caminhoneiro dorme no volante e provoca acidente na BR-376
O casal que seguia no caminhão que teve a frente destruída foi encaminhado ao hospital São José, em Joinville (SC). A PRF destacou que o local onde ocorreu o acidente é sinuoso e que a pista estava molhada no momento do acidente.

O deputado e vice-presidente da AR antecipou desta forma qual será o sentido de voto do PSD em relação à moção de censura do CDS, acautelando que a decisão formal sairá da reunião do grupo parlamentar de amanhã. "O PSD não avançará porque não é aquilo que decorre do ADN do PSD", afirmou, defendendo que "há várias formas de reagir à inacção e incompetência do Governo".

Um porta-voz dos centristas contactado pela TSF afirma "não imaginar acontecimentos mais graves do que os que sucederam no país e as posteriores declarações de membros do Executivo, em particular do próprio António Costa e da ministra Constança Urbano de Sousa". Considerada improvisada e um tanto frágil, a aliança entre o Partido Socialista, o Bloco de Esquerda e o Partido Comunista Português acabou apelidada de "geringonça" pela oposição.

A primeira moção de censura que o XIX Governo Constitucional enfrentou foi 'chumbada' pela Assembleia da República em 25 de junho de 2012, um ano e poucos dias depois do executivo liderado por Pedro Passos Coelho ter entrado em funções.

"Respeito", "faz parte da normalidade constitucional".

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL