Líder do PSB na Câmara deverá deixar a função

Patrice Gainsbourg
Outubro 18, 2017

Além de Danilo Forte, estão Tereza Cristina, Fabio Garcia e o ministro Fernando Coelho Filho (Minas e Energia).

À tarde, o grupo ameaçado de expulsão conseguiu uma liminar para proibir a realização da reunião do diretório nesta segunda-feira O partido recorreu, mas, à noite, o desembargador Flávio Renato Jaquet Rostirola, do TJ-DF, manteve a decisão do juiz da primeira instância.

Diante das divergências da líder do PSB na Câmara, Tereza Cristina (MS), em relação à orientação do partido sobre o governo, parlamentares da legenda que são contrários ao Palácio do Planalto correm contra o tempo para recolher as assinaturas necessárias para destitui-la e substituir dois dos quatro integrantes da sigla na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ganhou o senador Fernando Bezerra Coelho (PE) e seu filho, o ministro e deputado licenciado Fernando Coelho Filho (PE). Ele informou que a recomendação de que a bancada do partido destitua a líder "no dia de amanhã ou no máximo depois de amanhã" foi tomada de forma unânime.

Ator de "Glee" teria tentado cometer suicídio após ser condenado à prisão
As autoridades descobriram mais de 50 mil fotos e vídeos em seu laptop e outras quatro mil em um pen drive. Segundo o tabloide, o ator foi encontrado sangrando por um amigo com quem divide o apartamento.

A Justiça do Distrito Federal concedeu, nesta segunda-feira, 16, liminar que impede a expulsão dos deputados do PSB que respondem procedimento administrativo na legenda. "Queremos um líder que cumpra as decisões do partido, que represente o partido, que represente a posição majoritária da bancada, que é favorável à apuração dos crimes de que é acusado o presidente Michel Temer", afirmou o presidente Carlos Siqueira. A destituição da líder é dada como certa.

A pressa do PSB para definir os destinos dos dissidentes, tem ligação com a votação da segunda denúncia contra Temer e os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência, acusados de obstrução de Justiça e de participação em organização criminosa. Além dos quatro deputados, há mais nove parlamentares cujos processos ainda estão em análise pelo Conselho de Ética do PSB.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL