Justiça suspende exibição de documentário sobre a Chapecoense

Vincent De Villiers
Outubro 19, 2017

O juiz Marcos Bigolin, da 3ª Vara Cível de Chapecó, no Oeste catarinense, concedeu na terça-feira (17) uma liminar a favor da Chapecoense para suspender a divulgação e estreia do documentário "O Milagre de Chapecó". Segundo a Chape, o contrato previa autorização do material pelo clube. Produzido pela Trailer Ltda sob comando do uruguaio Luiz Ara, o filme tem data de estreia marcada para 30 de novembro.

As associações Afav-c (Associação dos Familiares das Vítimas do Voo da Chapecoense) e a Abravic (Associação Brasileira das Vítimas do Acidente com a Chapecoense) já indicaram que irão entrar com ações judiciais para barrar a exibição da imagem de vítimas. Na decisão emitida, o juiz afirma que o clube contratou a empresa para realizar um documentário da evolução do clube, passando também pelo acidente aéreo de 29 de novembro do ano passado, que deixou 71 mortos.

Line-up por dia sai amanhã!
Crianças abaixo de 10 anos não pagam entrada no festival, exceto para acesso à áreas exclusivas e Lolla Lounge. O 3º lote do Lolla Pass, válido para os três dias, custa $850.

Além da Chapecoense, as famílias das vítimas do acidente também já pensam em entrar com ações na justiça contra a produtora.

Foi determinado que a produção não pode ser exibida em salas de cinema, na televisão, internet ou em qualquer outra plataforma, sob multa de R$ 50 mil por dia em caso de descumprimento da decisão. Após, o jurídico estuda efeitos que possam ter sido causados em alguma família para ver se cabe uma ação indenizatória e contra quem. Uma das viúvas teria levado os filhos à uma sessão de cinema no último dia 12 de outubro e alegado que o trailer do documentário foi exibido antes do filme infantil.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL