FC Porto goleia Paços de Ferreira (6-1) — Vídeo

Patrice Gainsbourg
Outubro 22, 2017

Pressionar, dominar e ser eficaz.

Um FC Porto a tentar reagir da melhor forma a uma derrota, um regresso ao Dragão depois de quase um mês em campos alheios e grandes dúvidas na baliza. Ora, espreita mais uma vez.

Depois de Gamboa ter colocado os insulares na frente do marcador, aos 45+2 minutos, Fábio Pacheco foi expulso, aos 65, e, contra 10, os locais chegaram ao segundo triunfo na prova, com tentos de João Teixeira, aos 78, Gonçalo Paciência, aos 90+1, e João Amaral, aos 90+7. Não foi preciso muito tempo, pois logo no primeiro minuto já vencia com golo de Ricardo, aproveitando uma bola que lhe ficou à mercê à entrada da pequena área. Herrera e Danilo Pereira jogam no centro do terreno enquanto Brahimi, Corona estão nas alas.

Quem não podia ficar sem 'fazer o gosto ao pé' era Aboubakar, autor do sexto golo, aos 72 minutos, e que forma com Marega uma dupla que já proporcionou ao FC Porto 14 golos só no campeonato, sete cada um.

Veja a classificação atualizada do Grêmio após empate com Corinthians — Brasileirão
Por isso, a projeção atual aponta que 60 pontos é o número necessário para o clube gaúcho garantir presença no G-4 do campeonato. O Grêmio recebe o Palmeiras em sua Arena, em Porto Alegre, enquanto o Corinthians visita o Botafogo no estádio Nilton Santos.

O Paços de Ferreira não conseguia sair do próprio meio-campo com a bola controlada e a superioridade azul e branca voltou a consumar-se, mais uma vez por intermédio de Marega, que teima em tirar o pé do acelerador no que a golos diz respeito.

Quanto ao capítulo da arbitragem, Manuel Oliveira teve uma exibição de contornos positivos, quer no caráter das infrações, como no disciplinar.

Com este resultado, o FC Porto aumenta a diferença para cinco pontos face ao segundo classificado, o Sporting, que recebe este domingo o Desportivo de Chaves.

Depois do golo madrugador de Ricardo, aos quatro minutos, surgiu a resposta do Paços de Ferreira, aos oito minutos de jogo. Os amarelos exibidos foram acertados e a decisão de anular o golo a Felipe, aos 55 minutos, também, pois Aboubakar encontrava-se em posição de fora de jogo.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL