Ação policial tenta barrar show de Caetano Veloso em ocupação do MTST

Oceane Deschanel
Outubro 31, 2017

Repercute intensamente a decisão da juíza Ida Inês Del Cid, da 2ª Vara da Fazenda Pública de São Bernardo do Campo, que na tarde desta segunda-feira, 30, proibiu o show que Caetano Veloso se apresente com seu violão para os moradores da ocupação do MTST na cidade. "Trabalhadores sem teto e sem direito de escutar os querem apoiá-los" - resumiu o jornalista.

Desde o fim de agosto, 7 mil famílias ocupam o terreno em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. "A PM e a GCM acham que a vontade do prefeito Orlando Morando vale mais do que a Constituição", afirmou o ativista.

"Seu brilhantismo (de Caetano) atrairá muitas pessoas para o local, o que certamente colocaria em risco estas mesmas, porque, como ressaltado, não há estrutura para shows, ainda mais, de artista tão querido pelo público, por interpretar canções lindissímas, com voz inigualável", escreveu a magistrada. "É muito estranho ver instituições tão importantes, como o Tribunal de Justiça, o Ministério Público - e a gente não pode generalizar - se empenharem tanto para impedir um ato musical, um ato artístico de solidariedade a movimento social".

As atrizes Sonia Braga, Letícia Sabatella e Alinne Moraes acompanham Paula Lavigne na tentativa de liberar os equipamentos a tempo.

Boulos disse que a decisão é "absurda, é censura, é ilegal", publicou a Rede Brasil Atual.

Bélgica poderá dar asilo a Puigdemont
Segundo o jornal espanhol La Vanguardia , além de Puigdemont, encontram-se também na Bélgica "outros membros do Governo destituído".

O show prestaria apoio à luta por moradia e à marcha que os integrantes da ocupação devem realizar nesta terça-feira (31) rumo ao Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo do Estado.

Depois de percorrer prefeitura e fórum de São Bernardo, Paula Lavigne, produtora e mulher de Caetano, retornou à ocupação e disse: "Não vai ser desta vez, mas prometo que vai ter outro show".

"Não estamos aqui para fazer guerra, estamos em missão de paz".

A ocupação, em um terreno de construtora MZM, é de uma área de 70 mil m², ocorreu há dois meses.

A ocupação é uma das maiores da história do país e recebeu a visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato à presidência pelo PT. Liderado por Guilherme Boulos, o MTST é um dos principais movimentos sociais do país a manter militantes nas rua depois do impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL