Jovem é encontrada morta após carona combinada em grupo do whatsApp

Patrice Gainsbourg
Novembro 3, 2017

Linda, jovem e cheia de sonhos, assim era Kelly Cristina Cadamuro, de 22 anos, que havia desaparecido na tarde desta quarta-feira (1), quando saiu de casa na cidade de Guapiaçu, no interior de São Paulo, rumo a Itapagipe, cidade localizada na região do Triângulo Mineiro.

O corpo dela foi achado sem roupas, no período da tarde em uma área rural de Itapagipe, as margens de um córrego, com a cabeça submersa, segundo a polícia, uma calça dela foi achada anteriormente, logo após os familiares reconheceram o corpo. Entretanto, segundo a Polícia Militar, a suspeita de crime sexual não foi descartada.

Kelly estava desaparecida desde a noite de ontem.

Quase 30% dos inscritos no Enem ainda não confirmaram local de prova
Apesar disso, um protocolo já antigo de atuação da Polícia Federal no esquema de aplicação das provas é mantido pelo governo. Maria Inês informou que, a partir de hoje e-mails deverão ser encaminhados para aqueles que ainda não acessaram a página.

De acordo com os familiares, Kelly ia visitar o namorado, um engenheiro civil, em Itabagipe, no Triângulo Mineiro, e postou a viagem no grupo. A princípio, ela levaria um casal, mas a mulher desistiu no momento da viagem.

Câmeras instaladas em uma praça de pedágio mostram a passagem do carro dirigido pela jovem no sentido da cidade mineira e, algum tempo depois, retornando em sentido contrário, com um homem ao volante. O carro da jovem foi achado na manhã desta quinta sem as rodas, o rádio e o estepe entre Mirassol e Mirassolândia, em São Paulo. O último contato de Kelly com a família aconteceu as 19h quando ela abastecia o veículo na rodovia BR-153.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL