Caixa libera R$ 8,7 milhões e normaliza Minha Casa Minha Vida

Judith Bessette
Novembro 7, 2017

A linha usa recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Os recursos são destinados ao programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), para famílias que estão nas faixas 1,5 e 2, ou seja, aquelas com renda que varia de R$ 2,6 mil a R$ 4 mil. Nesse segmento imobiliário, encontra-se o maior déficit habitacional do Brasil, segundo o governo.

A Caixa Econômica Federal anunciou a liberação de mais de R$ 8,7 bilhões para financiamento de imóveis.

Segundo o banco estatal, foi adotada a estratégia de execução mensal do orçamento para todas linhas de crédito imobiliário, "com objetivo de cumprir o orçamento anual disponível até dezembro". Nelson de Souza, ao G1, garantiu que a restrição de recursos dessas faixas salariais está resolvida. A verba se destina às famílias que possuem renda mensal entre R$ 1,8 mil e R$ 4 mil, a fim de que possam financiar a tão sonhada casa própria.

França. Detidos suspeitos de prepararem atentado em Nice
Os detidos são todos homens entre os 18 e os 65 anos, entre eles dois pares de irmãos. A decisão foi detê-los para comprovar se estão ou não envolvidos numa operação.

Apesar da demanda nas agências e correspondentes da Caixa, esses financiamentos não estavam sendo aprovados pela falta de recursos. O dinheiro, com recursos da poupança, só passou a ser liberado se o interessado puder dar 50% de entrada no negócio.

O foco atual de financiamento da casa própria está voltado para imóveis novos. E, com isso, atingir a meta de estimular os negócios das construtoras e gerar emprego e renda. "Com essa suplementação, a Caixa garante recursos suficientes para normalizar o ritmo de contratações do Programa Minha Casa Minha Vida", cita o banco em nota.

A situação tende a ficar ainda mais complicada, uma vez que a Caixa poderá ter que devolver R$ 27 bilhões ao Tesouro Nacional para reforçar seu capital e evitar o descumprimento de regras internacionais contra crises financeiras.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL