PF coloca Marcapasso contra fraude na Saúde do Tocantins

Patrice Gainsbourg
Novembro 7, 2017

Reprodução/ InternetA Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (07) a Operação Marcapasso para investigar um esquema de corrupção que fraudava licitações na compra de equipamentos para procedimentos médicos, na área de órteses e próteses e de aquisição de materiais especiais, no estado do Tocantins.

A megaoperação conta com cerca de 330 policiais federais que atuam em nove estados brasileiros e também no Distrito Federal para cumprir mandados judiciais. Os mandatos foram expedidos pela 4º Vara Criminal Federal de Palmas.

Os policiais começaram a investigar o esquema quando os sócios da empresa Cardiomed foram presos em flagrante por terem fornecido à secretaria estadual de Saúde produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais que estavam com prazos de validade de esterilização vencidos. Os investigados poderão, na medida de suas participações, responder pelos crimes de corrupção passiva e ativa, fraude à licitação, associação criminosa, dentre outros.

Ozzy Osbourne em Lisboa em tour de despedida
Esta será a segunda digressão de despedida de Osbourne, depois da que realizou em 1992 e que já veio classificar como "um erro". A turnê, que possui calendário até 2020, brinda as cinco décadas de carreira do vocalista do Black Sabbath .

Ainda de acordo com a polícia, no decorrer das investigações, foi descoberto o esquema que possibilitava o fornecimento de vantagens ilícitas para empresas, médicos e empresários, além de funcionários públicos da saúde.

Ainda não há informação das cidades e de quantos mandados são cumpridos em MS.

O nome da operação faz alusão a um dos itens mais simbólicos e conhecidos da área de cardiologia, o marca-passo. Segundo a polícia, esse era um dos itens que integrava alguns dos editais "fraudados" nas licitações.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL