PF investiga se Sérgio Cabral financiou dossiês contra Marcelo Bretas

Oceane Deschanel
Novembro 8, 2017

Mesmo preso desde novembro de 2016, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral estaria financiando a montagem de dossiês contra o juiz Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no estado, segundo investigação sigilosa da Polícia Federal.

A informação foi obtida pela TV Globo. No dia 26 de setembro - 6 dias depois de o ex-governador receber a sentença na Operação Calicute - houve 8 acessos pra pesquisar registros de ocorrência sobre o juiz Marcelo Bretas e a mulher dele, que também é juíza. Nesta quarta-feira, o magistrado está ouvindo Cabral mais uma vez. A investigação sigilosa foi feita pela Polícia Federal.

A informação da existência dos dossiês partiu de dentro da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, onde Cabral e comparsas estão presos.

Justiça da Alemanha exige a legalização do "terceiro sexo"
Em maio, a França rejeitou a menção "sexo neutro", recusando o pedido de uma pessoa que nasceu sem pênis e sem vagina. A pessoa demandante apresentou aos juízes análises cromossômicas que mostravam que não era nem homem nem mulher.

De acordo com as investigações, um grupo ligado ao ex-governador passou a montar dossiês contra os investigadores.

Em nota, a defesa de Sergio Cabral disse que a denúncia: "É uma mentira, antes de uma maldade sádica, com claro propósito de criar intriga entre o ex governador e o magistrado, certamente como forma de incitá-lo e determinar nova transferência para um presídio federal". "Sérgio Cabral nada tem a ver com a consulta noticiada". Ele é acusado de liderar uma organização criminosa que embolsou propina advinda de contratos públicos durante suas duas gestões (2007-2014). A desconfiança é de que Cabral esteja por trás da produção dos documentos sobre o magistrado, que responde pelas ações judiciais da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro. Quando questionado sobre a compra de joias para lavar dinheiro, Cabral afirmou que o juiz devia entender do assunto tendo em vista que a família dele trabalhava com bijuterias.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL