Safra de grãos deve ficar 8,9% menor em 2018, prevê IBGE

Patrice Gainsbourg
Novembro 9, 2017

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (9) resultados referentes ao Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), que mostrou o primeiro prognóstico para a safra do ano que vem, evidenciando uma produção de cereais, leguminosas e oleaginosas estimada em 220,2 milhões de toneladas. Somente o feijão em grão variará positivamente, em 1,3%.

De acordo com as estimativas, devem produzir menos as regiões Norte (-3,2%), Nordeste (-5,8), Sudeste (-4,8%), Sul (-12,3%) e Centro-Oeste (-8,0%).

Juntos, o arroz, o milho e a soja, principais produtos deste grupo, representam 93,8% da estimativa da produção, respondendo por 87,9% da área a ser colhida.

"O prognostico é otimista, não é pessimista, porque na realidade a comparação deveria ser em relação ao mesmo prognóstico do ano passado".

Assessor diz que pegava dinheiro na casa da mãe de Geddel
Ele pagou fiança inicialmente estipulada em cem salários mínimos, depois reduzida à metade após recurso da defesa ser acolhido. O ex-ministro e o deputado Lúcio Vieira Lima são investigados pelo crime de lavagem de dinheiro.

A safra de cereais, leguminosas e oleaginosas do país no ano que vem deverá ser 8,9% abaixo da safra de 2017. Hoje estamos com 220,2 milhões de previsão para 2018, melhor do que nos três primeiros prognósticos do ano passado. A área plantada, de 986,6 mil hectares, deve crescer 6,3%.

Ainda assim, espera-se que a safra seja 30% superior no comparativo com o ciclo 2015/16, quando o Brasil colheu, segundo o IBGE, 185,8 milhões de toneladas. No caso da safra de algodão herbáceo, a produção em 2018 será 1,5% menor que a de 2017. A primeira safra deve render 1,6 milhão de toneladas; a segunda safra, 1,3 milhão de toneladas; e a terceira safra, 520 mil toneladas.

A área a ser plantada na safra de verão de feijão é de 1,8 milhão de hectares, 2,6% menor que a de 2017.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL