Safra de grãos deve ficar 8,9% menor em 2018, prevê IBGE

Patrice Gainsbourg
Novembro 9, 2017

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (9) resultados referentes ao Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), que mostrou o primeiro prognóstico para a safra do ano que vem, evidenciando uma produção de cereais, leguminosas e oleaginosas estimada em 220,2 milhões de toneladas. Somente o feijão em grão variará positivamente, em 1,3%.

De acordo com as estimativas, devem produzir menos as regiões Norte (-3,2%), Nordeste (-5,8), Sudeste (-4,8%), Sul (-12,3%) e Centro-Oeste (-8,0%).

Juntos, o arroz, o milho e a soja, principais produtos deste grupo, representam 93,8% da estimativa da produção, respondendo por 87,9% da área a ser colhida.

"O prognostico é otimista, não é pessimista, porque na realidade a comparação deveria ser em relação ao mesmo prognóstico do ano passado".

Cristiano Ronaldo mostra o seu lado mais íntimo ao lado do filho
Isso suavizou-me e deu-me uma nova perspetiva sobre o que realmente importa na vida", confessou. "Ver crescer a minha família é, sinceramente, o maior privilégio que tenho tido".

A safra de cereais, leguminosas e oleaginosas do país no ano que vem deverá ser 8,9% abaixo da safra de 2017. Hoje estamos com 220,2 milhões de previsão para 2018, melhor do que nos três primeiros prognósticos do ano passado. A área plantada, de 986,6 mil hectares, deve crescer 6,3%.

Ainda assim, espera-se que a safra seja 30% superior no comparativo com o ciclo 2015/16, quando o Brasil colheu, segundo o IBGE, 185,8 milhões de toneladas. No caso da safra de algodão herbáceo, a produção em 2018 será 1,5% menor que a de 2017. A primeira safra deve render 1,6 milhão de toneladas; a segunda safra, 1,3 milhão de toneladas; e a terceira safra, 520 mil toneladas.

A área a ser plantada na safra de verão de feijão é de 1,8 milhão de hectares, 2,6% menor que a de 2017.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL