Aos 53 anos, morre a atriz Márcia Cabrita

Rebecca Barbier
Novembro 10, 2017

A atriz Márcia Cabrita morreu nesta sexta-fera (10), aos 53 anos.

Cabrita é conhecida por seus papéis cômicos, principalmente após sua grande estreia no programa Sai de Baixo, em 1997, como a empregada Neide Aparecida. O diagnóstico da doença foi feito em março de 2010 e, como parte do tratamento, Márcia tinha retirado os ovários e o útero. O falecimento da atriz foi confirmado no início desta madrugada. Ricardo Parente afirmou, citado pelo Globo, que Márcia Cabrita "foi em paz" e não sofreu.

A atriz Cacau Protásio postou uma foto ao lado da artista para se despedir com os seguintes dizeres: "Amiga Vai com Deus, eu tive o prazer, à alegria, a sorte de trabalhar, conviver, contracenar com você, eu amo você, o céu está em festa, pois está recebendo o anjo mais lindo, você fará muita falta, nos encontramos no céu", escreveu Cacau, com uma foto bem-humorada com a amiga.

Márcia deixa sua filha, Manuela.

Gremistas celebram vitória fora contra Ponte após 36 anos de jejum
Nesta quarta-feira, a Ponte Preta recebe o Grêmio , no estádio Moisés Lucarelli, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro . No momento, o Grêmio ocupa a segunda colocação do Brasileirão , com 57 pontos, seis à frente do quinto colocado Botafogo.

Mais recentemente, Márcia Cabrita esteve nos programas "Vai que cola", "Trai e coçar é só começar" e "Treme Treme", exibidos pelo Multishow.

Filha de imigrantes portugueses, Márcia Martins Alves nasceu em Niterói, no estado do Rio, em 20 de janeiro de 1964.

Sua primeira aparição da TV foi em 1992, na minissérie "As noivas de Copacabana", de Dias Gomes. Fez dezenas de trabalhos em televisão, teatro e cinema, entre os quais "Sítio do Picapau Amarelo" (2003), "Sete Pecados" (2007) "Beleza Pura" (2008) e "Morde e Assopra" (2011).

A atriz, que sempre publicou textos irreverentes nas redes sociais e num blogue que criou para partilhar a sua relação com o cancro, foi também colunista convidada da Revista Globo. Não sei o porquê, mas existe uma ideia estapafúrdia de que quem está com câncer tem que, pelo menos, parecer herói.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL