Atriz Ellen Page revela ter sofrido assédio sexual e homofobia

Rebecca Barbier
Novembro 13, 2017

De acordo com o site PageSix, Gal Gadot não vai participar de Mulher Maravilha 2 enquanto Brett Ratner, diretor acusado de assédio e homofobia, continuar associado à franquia do filme. A atriz Ellen Page relatou em seu Facebook sobre o comportamento inapropriado do diretor no set de 'X-Men: O Confronto Final'.

De acordo com a fonte, que a Page Six diz ser confiável, Gal exigiu que Ratner e sua produtora RatPac-Dune Entertainment sejam retirados imediatamente do projeto.

"Devias f***-la para ela perceber que é gay" ("You should fuck her to make her realize she's gay", em inglês), disse o realizador a outra actriz, falando sobre Page, num evento no início das filmagens de X-Men: O Confronto Final, filme que Ratner realizou e em que Page interpretou Kitty Pryde. No começo do mês, Gal Gadot publicou no Instagram que bullying e assédio sexual são inaceitáveis.

CMJP faz ação para o 'Novembro Azul'
Dados do Ministério da Saúde indicam que 14.484 homens morreram em decorrência da doença no país em 2015. Negros ou aqueles com parentes em primeiro grau com câncer de próstata devem começar aos 45 anos.

"Ela é forte e acredita em seus princípios".

No entanto, tal como famosos atores foram envolvidos na polémica relativa a assédio sexual e não só, também a atriz que tão bem representa Wonder Woman se fez ouvir no meio desta história. Ela sabe que a melhor maneira de derrotar alguém como Brett Ratner é pelo bolso.

Representantes da atriz não se manifestaram, e a Warner Bros. afirmou que tudo é falso. "Eu estou ao lado de mulheres corajosas que estão enfrentando seus medos e denunciando esses casos. Eles não podem ter um filme de empoderamento feminino sendo financiado em parte por um homem acusado de assédio sexual contra as mulheres". "Juntas permanecemos. Estamos juntas em um momento de mudança", escreveu.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL