Hariri diz que retornará ao Líbano

Patrice Gainsbourg
Novembro 13, 2017

Os Estados Unidos apelam para que seja respeitada "a soberania do Líbano", após a inesperada demissão há uma semana do primeiro-ministro Saad Hariri que fez cair o país na instabilidade.

A Arábia Saudita afirma que Hariri é livre e que deixou cargo porque o Hezbollah está coordenando a coalização governista do Líbano.

O Presidente libanês, Michel Aoun, apelou este sábado para que a Arábia Saudita "esclareça as razões que impedem o regresso de Hariri ao Líbano".

"Vou voltar ao Líbano muito em breve para iniciar os procedimentos constitucionais necessários", afirmou Hariri no domingo à noite, em referência à sua renúncia, que o presidente ainda não aceitou.

O primeiro-ministro libanês, classificado de "parceiro sólido dos Estados Unidos" pela Casa Branca, denunciou a preparação de um atentado contra a sua vida e acusou o movimento xiita libanês Hezbollah, membro do seu próprio Governo, mas próximo do Irão, de impor a sua política através das armas.

A renúncia e sua repercussão lançaram o Líbano na linha de frente do conflito entre a sunita Arábia Saudita e o xiita Irã.

Não deu, Constantine… Fighter Pack 3 de Injustice 2 é finalmente revelado
Após a adição de Sub-Zero e Raiden , da franquia Mortal Kombat , o jogo ainda trouxe o Hellboy, da Dark Horse Comics . Caso contrário, será necessário adquirir o " Fighter Pack 3 ", que também não teve seu preço revelado pela produtora.

As duas potências do Oriente Médio já se enfrentam em outros assuntos regionais, como as guerras do Iêmen e da Síria.

A estratégia dos sauditas seria forçar uma desestabilização no seio de uma das forças do Irão, o movimento xiita libanês Hezbollah.

Admitindo que a sua demissão foi feita de um modo "pouco habitual", disse querer dar "um choque positivo" ao país. "Por quê ficar no meio?", questionou.

Hariri concluiu dizendo que o rei Salman o considerava como um filho e que o príncipe herdeiro, Muhammed bin Salman, se comportou com ele com grande cortesia.

Hariri indicou que a subsistência de centenas de milhares de libaneses pode estar ameaçada, além do comércio, vital para a estabilidade da economia de sua nação.

Hariri se negou a comentar a detenção, no mesmo dia de sua renúncia, de dezenas de altas personalidades na Arábia Saudita, em nome da luta contra a corrupção.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL