Hariri diz que retornará ao Líbano

Patrice Gainsbourg
Novembro 13, 2017

Os Estados Unidos apelam para que seja respeitada "a soberania do Líbano", após a inesperada demissão há uma semana do primeiro-ministro Saad Hariri que fez cair o país na instabilidade.

A Arábia Saudita afirma que Hariri é livre e que deixou cargo porque o Hezbollah está coordenando a coalização governista do Líbano.

O Presidente libanês, Michel Aoun, apelou este sábado para que a Arábia Saudita "esclareça as razões que impedem o regresso de Hariri ao Líbano".

"Vou voltar ao Líbano muito em breve para iniciar os procedimentos constitucionais necessários", afirmou Hariri no domingo à noite, em referência à sua renúncia, que o presidente ainda não aceitou.

O primeiro-ministro libanês, classificado de "parceiro sólido dos Estados Unidos" pela Casa Branca, denunciou a preparação de um atentado contra a sua vida e acusou o movimento xiita libanês Hezbollah, membro do seu próprio Governo, mas próximo do Irão, de impor a sua política através das armas.

A renúncia e sua repercussão lançaram o Líbano na linha de frente do conflito entre a sunita Arábia Saudita e o xiita Irã.

Campanha Papai Noel dos Correios é lançada em Goiânia
Assim é a campanha Papai Noel dos Correios , uma das maiores ações sociais natalinas do Brasil realizada há mais de 25 anos. As cartas do Papai Noel dos Correios ficam disponíveis apenas nos locais indicados pela empresa.

As duas potências do Oriente Médio já se enfrentam em outros assuntos regionais, como as guerras do Iêmen e da Síria.

A estratégia dos sauditas seria forçar uma desestabilização no seio de uma das forças do Irão, o movimento xiita libanês Hezbollah.

Admitindo que a sua demissão foi feita de um modo "pouco habitual", disse querer dar "um choque positivo" ao país. "Por quê ficar no meio?", questionou.

Hariri concluiu dizendo que o rei Salman o considerava como um filho e que o príncipe herdeiro, Muhammed bin Salman, se comportou com ele com grande cortesia.

Hariri indicou que a subsistência de centenas de milhares de libaneses pode estar ameaçada, além do comércio, vital para a estabilidade da economia de sua nação.

Hariri se negou a comentar a detenção, no mesmo dia de sua renúncia, de dezenas de altas personalidades na Arábia Saudita, em nome da luta contra a corrupção.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL