Fernando Santos diz que vai ser difícil escolher convocados para o Mundial

Vincent De Villiers
Novembro 14, 2017

"Há um jogador que vai estar presente, seguramente", rematou. É também muito importante a forma como têm estado em estágio.

Fernando Santos poderá superar nesta noite (20.45, RTP1, SIC e TVI) o número de jogadores lançados por Luiz Felipe Scolari na seleção nacional - o brasileiro promoveu a estreia de 30 futebolistas em 75 jogos, entre 2003 e 2008, o engenheiro pode chegar aos 32 em 46 (desde 2014), caso utilize José Sá (FC Porto), Ricardo Ferreira (Sp. Braga), Rony Lopes (Mónaco) e Gonçalo Paciência (V. Setúbal) diante dos Estados Unidos, em Leiria.

"Tenho esse sonho [de ir ao Mundial]".

Hoje, a partir das 10h30, com os primeiros 15 minutos abertos aos jornalistas, Portugal realiza o último treino antes defrontar os Estados Unidos e viaja ao início da tarde para Leiria, onde Fernando Santos e um jogador vão fazer a antecipação do jogo em conferência de imprensa, às 16 horas, no Estádio Municipal. "O que eu disse é que não iam jogar equipas diferentes".

Cruzeiro x Fluminense ao vivo - Saiba onde haverá transmissão
Para deixar a situação do Tricolor ainda mais díficil, Marlon recebeu o segundo cartão amarelo após colocar a mão na bola. Mas a torcida cruzeirense, com o jogo liquidado, festejou o triunfo antes mesmo do apito final.

"É uma equipa com um jogo objetivo, mais rápido, com jogadores de boa qualidade técnica, muito bons a nível do passe e da recepção". Será dentro do que está programado.

Fernando Santos elogiou, em conferência de imprensa, as características de Gonçalo Guedes, considerando que o extremo emprestado pelo PSG ao Valencia é sempre um elemento a levar em conta quando se fala da lista final para a Rússia. "Temos pouco tempo de treinos e 90% dos treinos são em recuperação".

"Se tiver oportunidade, todos ou quase todos irão jogar". "Foram escolhidos nessa base. Eu espero e desejo, e faço um apelo, a todos os portugueses, aqueles que aqui estão perto, que possam vir aqui amanhã, que estejam aqui", afirmou, prometendo uma "equipa capaz", que "espera dar mais uma alegria" e "fazer tudo para vencer o jogo".

Afinal, nos seis duelos anteriores entre a equipa das quinas e os Estados Unidos, registam-se duas vitórias para cada lado e dois empates. Daí para cá, triunfos americanos num particular em 1992 e no Mundial 2002, e um empate no Mundial 2014.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL