Uber escondeu ataque informático que afetou mais de 50 milhões de utilizadores

Judith Bessette
Novembro 22, 2017

Neste total de pessoas afetadas estão incluídos 600 mil motoristas, cujos nomes e dados de habilitação foram vazados.

"Você pode estar perguntando por que estamos falando sobre isso agora, um ano depois. Estamos mudando a forma como estamos fazendo negócios", disse Dara Khosrowshahi, o CEO da empresa.

Segundo a Bloomberg, o Uber pagou US$ 100 mil aos piratas, que destruíram as informações que conseguiram coletar, sem divulgar os dados dos condutores e clientes do app. "Eu tive a mesma pergunta, então eu imediatamente pedi uma investigação minuciosa sobre o que aconteceu e como nós lidamos com isso", escreveu Khosrowshahi.

Ele disse que os hackers roubaram endereços de e-mail e números de celular. A Uber garante que não ficou comprometida informação mais sensível como os números de identificação, detalhes de cartões de crédito ou dados sobre as viagens realizadas.

Gunes elogia FC Porto, mas quer 'selar' apuramento do Besiktas
A duas jornadas do final, o Grupo G é liderado pelo Besiktas, com dez pontos, seguido do FC Porto , com seis, do Leipzig, com quatro, e do Mónaco, com dois.

O incidente foi mantido em segredo pela empresa. A Uber negou-se a revelar a identidade dos hackers, dizendo que eles não terão usado a informação roubada.

Khosrowshahi afirma que "na altura do incidente, [tomaram] passos imediatos em assegurar os dados e terminar qualquer acesso não autorizado por parte dos indivíduos", acrescentando que "também [implementaram] medidas de segurança para restringir o acesso e fortalecer os controlos no nosso armazenamento de contas na 'cloud'". O Uber também está monitorando as contas que tiveram os dados fraudados para verificar se elas precisam de proteção adicional contra fraude.

A companhia não informou se há brasileiros na lista de usuários que tiveram os dados violados.

Os dados a que os autores do ataque tiveram acesso estavam armazenados em um serviço de nuvem terceirizado. "Embora não consiga apagar o passado, posso comprometer-me em nome de todos os funcionários da Uber que aprenderemos com os nossos erros", escreveu o CEO que assumiu a a presidência do Uber no fim de agosto deste ano, após o afastamento do fundador da empresa, Travis Kalanick.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL