Divulgado vídeo que mostra deserção de norte-coreano

Patrice Gainsbourg
Novembro 23, 2017

Guardas da Coreia do Norte dispararam contra o soldado quando ele atravessou a fronteira para a Coreia do Sul, atingindo-o pelo menos cinco vezes e deixando-o com lesões com risco de morte.

O fugitivo da Coreia do Norte agora se recupera em um hospital no Sul. "Seus órgãos foram extremamente afetados".

A pressão e o stresse a que estavam sujeitas era enorme e isso, aliado à má nutrição, fazia com que as militares em pouco tempo de serviço deixassem de ter período. Nele, é possível ver um homem chegando de carro até um ponto da "zona compartilhada de segurança" que divide a Coreia do Sul da Coreia do Norte, onde é proibido o uso de armas de fogo.

O governante falava à imprensa no aeroporto internacional 04 de fevereiro, em Luanda, no momento do embarque destes trabalhadores, acrescentando que apesar das relações com a Coreia do Norte, os compromissos internacionais de Angola obrigam igualmente ao cumprimento da resolução 2371 do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

Os trabalhadores encontravam-se em Angola ao abrigo do acordo de cooperação com o Governo da Coreia do Norte, no domínio da construção civil, e entre as várias obras em território angolano, inclui-se a construção do Memorial António Agostinho Neto, em Luanda, local que recebe as principais cerimónias de Estado e mausoléu do primeiro Presidente angolano.

O Exército sul-coreano declarou que não houve troca de tiros entre o Norte e o Sul por ocasião da deserção, ocorrida por volta das 16h locais. Ele foi levado por um helicóptero militar americano até um hospital em Suwon, ao sul de Seul (assista ao vídeo abaixo).

Paulo Neves sai da PT, Alexandre Fonseca confirmado como presidente executivo — Altice
Na hora da despedida, a empresa afirma que o gestor é "reconhecido no grupo pela sua postura e desempenho". O Alexandre dirigir-se-á a vós nas próximas horas para vos detalhar a sua estratégia e objetivos comuns.

Em junho passado, dois soldados norte-coreanos desertaram com um intervalo de cerca de dez dias, atravessando a DMZ - a faixa desmilitarizada de dois quilômetros ao longo de cada lado da fronteira propriamente dita.

O vídeo mostra como uma caminhonete dirigida pelo desertor avança pela estrada deserta que leva ao povoado de Panmunjom, até parar na linha de demarcação. O desertor, então, desce e começa a correr em direção à Coreia do Sul, enquanto outros militares atiram contra ele.

Segundo as imagens divulgadas, um dos soldados norte-coreanos chegou mesmo a atravessar a linha durante escassos segundos, o que a par com os tiros - que foram efectuados em direcção ao Sul - constituiu uma violação do cessar-fogo que colocou termo à Guerra da Coreia.

O coronel Chad Carroll, porta-voz do UNC, destacou que as imagens revelam como um guarda "correu durante alguns segundos além da LDM antes de regressar para o Norte".

- A força das Nações Unidas pediu uma reunião para abordar sua investigação e medidas para impedir semelhantes violações no futuro - acrescentou em referência à vulnerabilidade do acordo de armistício de 1953.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL