Reforma da Previdência: governo tenta convencer aliados em reunião neste domingo

Oceane Deschanel
Dezembro 4, 2017

Em meio à ofensiva para conseguir votos para aprovar a reforma da Previdência, o presidente Michel Temer divulgou, nessa sexta-feira, um vídeo nas redes sociais no qual faz um apelo ao Congresso Nacional para que a proposta seja aprovada.

Assim como foi feito nas vésperas da votação da segunda denúncia contra Temer na Câmara, o governo fará um levantamento entre os parlamentares de partidos da base para saber quantos votos têm pela reforma.

Durante a reunião, o presidente Temer pediu apoio aos presidentes e lideranças partidárias para aprovação da reforma em análise na Câmara dos Deputados.

O presidente da Câmara preferiu não se comprometer com uma data para votação da proposta em plenário.

Definidos los grupos para el Mundial de Rusia 2018
Australia tendrá cuesta arriba en el Grupo C encabezado por Francia y completado por Perú y Dinamarca. La FIFA establece una serie de condicionantes.

De acordo com o deputado Rodrigo Maia, já há um ambiente das principais lideranças e presidências dos partidos da base sobre a importância e urgência de votar a reforma.

Na semana que vem, o governo se mobilizará para obter os votos que faltam para fechar os 308 necessários para aprovar a reforma na Câmara, com estratégias como conversas diretas de Temer com deputados e atuação dos líderes da base aliada para convencer os indecisos.

O policiamento em frente à casa de Rodrigo Maia foi reforçado por conta de um protesto contra a reforma da Previdência.

Entre os presidentes de partidos, são aguardados no encontro os dirigentes do PMDB, PP, PSD, DEM, PRB, PTB, Solidariedade e PSC. "Não estou tratando de votos, estou tratando de expectativas", disse. O deputado disse que é preciso conversar com os colegas, "um por um", e comparou o cenário de hoje -quando o governo tem dificuldade em conseguir os 308 votos para aprovar a reforma na Câmara- com 2015, quando Joaquim Levy, então ministro da Fazenda de Dilma Rousseff, lançou um pacote de medidas fiscais que não foi votado e "deu no que deu".

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL