Trump retira EUA do Pacto Mundial da ONU sobre migração e refugiados

Patrice Gainsbourg
Dezembro 4, 2017

A missão norte-americana na ONU anunciou que o país não fará parte do Pacto Mundial das Nações Unidas para os Migrantes e Refugiados.

Os 193 membros da Assembleia Geral da ONU aprovaram em setembro de 2016 a Declaração de Nova York com o propósito de melhorar a proteção e a gestão dos movimentos de migrantes e refugiados.

"Os Estados Unidos se orgulham de sua herança em matéria de imigração e de sua liderança no apoio a populações de migrantes e refugiados em todo o mundo", destaca no comunicado a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley.

"A Declaração de Nova York compreende vários artigos que são incompatíveis com a política norte-americana de imigração e de refugiados e com os princípios definidos pela administração Trump em matéria de imigração", explicou, em nota, a missão dos Estados Unidos junto à ONU. "Como resultado, o presidente Trump determinou que os Estados Unidos acabariam com a participação no processo do Compact que visa alcançar o consenso internacional em a ONU em 2018", afirmou o comunicado americano.

Baseado nessa declaração, o Alto Comissariado para os Refugiados propôs um Pacto Global sobre a Migração, que será apresentado no seu relatório anual para a Assembleia Geral da ONU em 2018.

Nikki Haley embaixadora dos EUA

"Nenhum país fez mais do que os Estados Unidos, e nossa generosidade continuará", completou Haley.

"Vamos decidir a melhor maneira de controlar nossas fronteiras e quem será autorizado a entrar em nosso país", disse ela.

Recentemente, Trump retirou os Estados Unidos da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), alegando que a instituição teria preconceitos contra Israel.

A ONU ainda não reagiu ao anúncio dos Estados Unidos.

Balança comercial: superávit de US$ 62 bilhões é o maior da história
Em um mês tradicionalmente marcado por baixas vendas ao mercado externo, o superavit da balança comercial caiu em novembro. De janeiro a novembro do ano passado, a balança comercial tinha registrado superavit de US$ 43,26 bilhões.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL