Supremo dos EUA permite implementação total do veto de Trump

Patrice Gainsbourg
Dezembro 5, 2017

Tribunais de nível inferior têm defendido que as pessoas destes países com uma relação autêntica com alguém nos EUA não podem ser mantidas fora do espaço norte-americano.

O Supremo Tribunal dos EUA disse na segunda-feira que o governo poderia aplicar plenamente uma proibição revisada de viajantes de seis países principalmente muçulmanos pendentes de recurso, apoiando o presidente Donald Trump na batalha de um ano por causa da controvertida medida. A proibição é a terceira versão de uma política polêmica que Trump tentou implementar inicialmente uma semana após assumir a presidência, em janeiro.

O tribunal suspendeu as decisões de outubro de dois tribunais inferiores que bloquearam a implementação da proibição aberta de visitantes do Chade, Irã, Líbia, Somália, Síria e Iémen, enquanto os desafios legais continuaram.

O veto de Trump também inclui pessoas da Coreia do Norte e alguns funcionários do governo da Venezuela, mas as cortes inferiores já tinham autorizado essas determinações a entrar em vigor.

Facebook lança Messenger para crianças de até 13 anos
A decisão da empresa de criar esta versão do Messenger se deve ao volume de crianças que usam tablets e smartphones . O Messenger Kids está disponível em modo preview a partir de hoje, 4/12, nos EUA para aparelhos iOS e Android .

A medida, recorde-se, foi uma das primeiras decisões tomadas por Trump após a sua tomada de posse.

O segundo decreto, reformulado, deixou de fora cidadãos do Iraque e modificou a provisão sobre refugiados sírios, ao proibir sua entrada no país por apenas 120 dias e não de maneira indefinida, como estabelecia o veto original.

Os nove membros da Suprema Corte disseram em duas ordens similares nesta segunda que as determinações que bloquearam parcialmente o último veto devem ser suspensas enquanto cortes de apelação em San Francisco e Richmond, na Virginia, avaliam os casos.

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL