Tarifa branca para energia elétrica começa a valer em 2018, entenda

Judith Bessette
Dezembro 7, 2017

O período mais caro de consumo de energia vai das 18h às 21h. "Por apresentarem um elevado consumo de energia em comparação com os demais equipamentos, a possibilidade de utilizá-los nos períodos fora de ponta será fundamental para definir se a adesão à Tarifa Branca pode ser vantajosa para o consumidor", aponta a Aneel. A novidade é válida para distribuidoras de energia de todo país. Na primeira fase, poderão adotar a tarifa os consumidores de de baixa tensão, como residências, pequenos comércios e indústrias, com consumo médio mensal superior a 500 quilowatts-hora (KWh). Vale ressaltar que o consumo médio do brasileiro é de 160 kWh.

A recomendação é que antes de fazer a adesão, o consumidor deve certificar-se de que será, de fato, vantajoso para sua casa ou seu negócio.

Com a tarifa branca, o consumidor pagará valores mais altos de tarifa nos horários de maior demanda por energia no sistema, entre 19h e 21h dos dias úteis. O executivo não deu uma estimativa sobre quanto o consumidor pode economizar com a migração.

Todo mundo pode optar pela Tarifa Branca? O consumidor tem que fazer uma série de análises para saber se é vantajoso ou não. Quem puder remanejar o consumo para fora da hora de pico, terá vantagem.

CNH ganhará chip e 'cara' de cartão de crédito até 2019
Importante ressaltar que os proprietários de CNH em papel não terão que fazer a substituição imediata pelo documento plástico. Nao existem informações precisas sobre possíveis mudanças no valor para renovar ou até mesmo tirar a carteira de motorista.

Horários de "ponta" são as três horas de maior consumo de energia de cada distribuidora (geralmente, as primeiras horas da noite); "intermediários" referem-se ao período de uma hora anterior e posterior ao horário de ponta; e "fora de ponta" são todos os outros horários. "É totalmente voluntário, mas é preciso fazer as contas para ver se vale a pena", explicou Leite.

"Visa oferecer uma tarifa mais barata para quem consome mais energia fora dos 'horários de ponta'". Esses horários variam para cada distribuidora. Quanto mais o consumidor deslocar seu consumo para o período fora de ponta e quanto maior for a diferença entre essas duas tarifas, maiores são os benefícios da tarifa branca.

Após a solicitação, a empresa terá até 30 dias para efetuar a instalação do novo medidor de energia, que deve ser capaz de medir o consumo nos diferentes horários. A distribuidora será responsável pela aquisição e instalação do medidor, sem custo algum para o consumidor. O consumidor pode mudar de ideia e retornar ao modelo de cobrança antigo a qualquer momento. O prazo para a mudança também será de 30 dias.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL