PIB de Teresina caiu 0,78% em 2015, em relação ao ano anterior

Judith Bessette
Dezembro 17, 2017

Piratuba- O município de Piratuba, no Meio-Oeste, apresentou o terceiro maior crescimento no Produto Interno Bruto (PIB) no ano de 2015. O município tem a população de 847.330, o que significa 26,45% da população de todo o estado.

No ano anterior, porém, houve recuo do interior, com o PIB de Campo Grande atingindo R$ 23,8 bilhões, sendo superior a 30% do total estadual (de R$ 78,9 bilhões).

Em Teresina, o destaque é para o setor serviços, com 76,37% na economia municipal. O Orçamento de 2018, aprovado na quarta-feira (13) pelo Congresso Nacional, já considerava alta de 2,5% no PIB. Ao contrário, os municípios fora das capitais eram responsáveis por 63,9% do PIB e passaram a contribuir com 66,9%, um avanço de 2,9 pontos percentuais no mesmo período.

Chamou atenção o fato dos dois piores PIBs municipais do Brasil serem de cidades do Piauí.

No setor Agropecuária, os cinco maiores valores adicionados (VAs) foram para Baixa Grande do Ribeiro, Uruçuí, Ribeiro Gonçalves, Bom Jesus e Guadalupe, que são produtores de soja, milho, arroz e algodão herbáceo, além da fruticultura irrigada, em Guadalupe.

Polícia na rua: operação de combate à criminalidade em Curitiba
Foram cumpridos 61 mandados de prisão na capital e 17 em municípios do interior do Amazonas. De acordo com a Polícia Civil , em todo o Brasil, foram cumpridos 1.174 mandados de prisão.

Segundo o último levantamento publicado, referente ao ano de 2014, o PIB palmense era de R$ 864,67 milhões.

O ex-deputado Antônio José Medeiros, presidente da Fundação Cepro, reconheceu a queda no PIB de boa parte dos municípios piauienses, mas ressaltou que houve algumas altas, sobretudo na região dos cerrados, graças ao desenvolvimento do agronegócio.

Quanto ao PIB per capita, Teresina ficou na oitava colocação com R$ 20.879,75.

A estimativa do mercado financeiro é que o PIB cresça 0,91%, este ano. "O PIB dos Municípios de 2015 ganha uma importância especial porque o estado do Piauí, como um todo, teve um decrescimento (-1,1%), embora ainda seja uma das posições menos desconfortáveis em relação ao Brasil".

“A exemplo dos anos anteriores o setor de serviços foi o que deteve maior participação no Valor Adicionado (VA), tendo comércio, manutenção e reparação de veículos automotores e motocicletas como principal subsetor”, acrescenta a nota. "Alguns outros municípios continuam tendo um bom desempenho na agropecuária, em especial aqueles que se dedicam à piscicultura ou à fruticultura", destacou.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL