Presidente da República envia condolências à familia de portuguesa morta em Moçambique

Patrice Gainsbourg
Dezembro 31, 2017

Esta morte acontece menos de 24 horas depois do anúncio da morte de uma outra portuguesa, raptada e assassinada na província da Beira, em Moçambique.

Contactada a Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, a TVI apurou que a família da vítima já foi informada, estando a receber apoio da mesma entidade, tal como os colegas da empresa Ferpinta, para a qual a portuguesa trabalhava em Moçambique.

Numa nota publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa apresentou condolências à família de Inês Botas pela sua morte trágica.

José Luís Carneiro adiantou à Lusa que o assalto ocorreu no sábado à noite e que a cidadã portuguesa residia há bastante tempo em Moçambique, onde era uma pequena empresária.

Usuários relatam queda do aplicativo WhatsApp no mundo todo
Os internautas relatam o problema e se perguntam quando poderão voltar a usar o aplicativo normalmente. O aplicativo não envia mensagens para outros contatos e também não sinaliza quando há mensagens novas.

Segundo José Luis Carneiro, a autópsia concluiu que a cidadã portuguesa foi morta por afogamento com prévio traumatismo craniano.

Segundo o Governo, as autoridades moçambicanas já detiveram dois suspeitos por assalto e por posterior assassínio.

A cidadã portuguesa que morreu este domingo em Moçambique tinha 77 anos, vivia sozinha e não resistiu aos ferimentos sofridos durante um assalto a sua casa, em Manica, segundo confirmou à RTP o secretário de Estado das Comunidades.

O secretário de Estado explicou que o único contacto que os serviços consulares dispõem relativo a esta portuguesa é de um amigo, e até este domingo à tarde permanece incontactável.

Outros relatórios LazerEsportes

Discuta este artigo

SIGA O NOSSO JORNAL